Toninho do PSOL, candidato ao GDF, participa da Sabatina JBr.


Toninho do PSOL, candidato ao GDF, participa da Sabatina JBr.

Jornalistas do Jornal de Brasília e eleitores do DF fizeram perguntas ao candidato

Luís Nova


O candidato ao Governo do Distrito Federal, Toninho do PSOL, foi entrevistado, na manhã desta quarta-feira (23), no Jornal de Brasília. Toninho explicou suas propostas, caso seja eleito , respondendo perguntas dos internautas e do editor-chefe, Paulo Gusmão, do editor de Política e colunista Eduardo Brito, e da repórter especial de política, Millena Lopes.

Confira os principais pontos da Sabatina JBr.:

Segurança Pública

Toninho ressaltou a necessidade de uma mudança na postura da Segurança Pública. De acordo com o candidato, a polícia tem que ser “comunitária”, como é no Canadá, e não ficar restrita aos batalhões. “A polícia deve estar onde o povo está”, enfatizou.

O Batalhão de Operações Especiais (BOPE), nos moldes atuais, foi duramente criticado. Segundo o candidato, os militares aguardam dentro dos quárteis serem chamados para coagir protestos e se vestem como predadores. “Parece uma tropa nazista”, comparou.

Ao ser questionado sobre os Postos Policias, que estão abandonados, o candidato afirmou, com convicção, que irá reativa-los.

Governo

Se eleito, o candidato afirma que quatro anos são suficiente para mudar o Distrito Federal. “Tudo que precisa é de planejamento”, explica Toninho, para quem há dinheiro e tempo para fazer a mudança.

“Eu sou um otimista”, lembrou. O orçamento no Distrito Federal gira em torno de 32 bilhões que, para o candidato, é suficiente e precisa ser aplicado de maneira correta.

Toninho, que é aposentado na carreira pública, destacou que irá priorizar o chamado aos concursados já aprovados.

Campanha Política

Para o candidato do Psol, a briga entre os demais candidatos ao GDF é indiferente. “Enquanto eles brigam, eu faço a campanha na base”, explica. Para ele, “é importante que todos os moradores do DF conheçam o passado, o presente e as propostas para o futuro dos candidatos ao governo para não comprar gato por lebre”, brinca.

Toninho levanta a bandeira de ser uma nova opção para a gestão governamental. “Se eu pensasse igual aos demais, eu os estaria apoiando ou dentro de alguma coligação”, concluiu.

Transporte Público

Um dos grandes problemas do Distrito Federal é o transporte público. Para Toninho, o futuro está sobre os trilhos. “Não tenho dúvidas que este é o futuro”, explica. Se eleito governador, o candidato afirma que será valorizado a integração do transporte público e o aumento significativo dos veículos sobre trilhos.

Executivo x Legislativo

Sempre há muitas complicações entre as relações do Governo e a Câmara Distrital. Para o candidato, é necessário mudar o foco dos dois poderes. “O interesse do cidadão está acima do interesse do parlamentar. Eu sou otimista. Se a população ficar de plantão em frente a CLDF, os projetos em prol do Distrito Federal serão aprovados”, finalizou.

Próximos entrevistados:

30 de julho, às 10h30, Rodrigo Rollemberg

6 de agosto. às 10h30, Luiz Pitiman

13 de Agosto, às 10h30, José Roberto Arruda

20 de Agosto – Agnelo Queiroz (horário a confirmar)

Mande sua pergunta pelas redes sociais ou pelo e-mail: eleicoes2014@jornaldebrasilia.com.br

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: