Todos os condenados do mensalão estão na Penitenciária da Papuda

Chegou no início da noite de hoje o jato da Embraer da Polícia Federal. Nele estavam o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, o ex-presidente do PT, José Genoino, e mais sete condenados do mensalão: José Roberto Salgado, ex-vice-presidente do Banco Rural; O publicitário Marcos Valério; Kátia Rabello, ex-presidenta do Banco Rural; o ex-deputado federal Romeu Queiroz (PTB-MG); Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, ex-sócios de Marcos Valério; e Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério. Todos os condenados chegaram acompanhados por um agente da Polícia Federal. Delúbio e Lamas são transferidos para a Papuda (Montagem)


Todos os réus seguiram em um micro-ônibus para o Complexo Penitenciário da Papuda. Antes, a Polícia Federal havia dito que eles seriam levados a Superintendência do órgão, mas o trajeto foi alterado atendendo a uma determinação de um juiz da vara de execuções criminais.

Por volta das 20h um outro micro-ônibus chegou na Papuda, trazendo Jacinto Lamas e Delúbio Soares da Superintendência da Polícia Federal, onde estavam aguardando os outros réus que se apresentaram em São Paulo e Belo Horizonte.

Somente na segunda-feira que os nove condenados saberão onde vão cumprir a pena, que será decidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Nessa etapa de prisão provisória, todos ficaram detidos em salas na sede da Polícia Federal. Isso ocorre pois é um períudo de transição.

Pizzolatto está na Itália

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolatto, único que ainda não se apresentou, foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão no escândalo do Mensalão, fugiu para a Itália, aproveitando a dupla cidadania. Ele vai apelar para um novo julgamento italiano.

“Por não vislumbrar a mínima chance de ter um julgamento afastado de motivações político eleitorais, com nítido caráter de exceção, decidi consciente e voluntariamente fazer valer meu legítimo direito de liberdade para ter um novo julgamento, na Itália, em um Tribunal que não se submete às imposições da mídia empresarial, como está consagrado no tratado de extradição Brasil e Itália”, disse.

Segundo apurou o Broadcast, Pizzolatto teria fugido do país por terra, por Pedro Juan Caballero, no Paraguai, há 45 dias. De lá, foi para a Itália.

Seu advogado afirmou a imprensa que não sabia que seu cliente tinha fugido para a Itália.

Delúbio chega à Superintendência da PF em Brasília

O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares chegou ás 15h12 à Superintendência da Polícia Federal em Brasília. O petista entrou sem falar com a imprensa. Ele estava abaixado, no banco de trás de um carro preto, coberto por um blazer. Ele teve o carro cercado por militantes do partido, que, gritando palavras de solidariedade, se aglomeravam desde a manhã na entrada do prédio, carregando faixas e bandeiras em apoio aos condenados pelo Supremo Tribunal Federal no processo do mensalão.

No final da manhã, por volta das 11h25, Delúbio entregou-se na sede da Polícia Federal, que é distante cerca de oito quilômetros da superintendência. “Apresentando às autoridades em Brasília para o cumprimento da pena que me foi imposta em julgamento de exceção. Viva o PT! Viva o Brasil!”, escreveu o ex-tesoureiro pela manhã no microblog Twitter. Ele foi o décimo primeiro dos sentenciados a se entregar.

A Polícia Federal informou que os 12 mandados são referentes aos seguintes réus:

José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil

Pena total: 10 anos e 10 meses

Crimes: formação de quadrilha e corrupção ativa

José Genoino, deputado federal licenciado (PT-SP)

Pena total: 6 anos e 11 meses

Crimes: formação de quadrilha e corrupção ativa

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT

Pena total: 8 anos e 11 meses

Crimes: formação de quadrilha e corrupção ativa

Marcos Valério, apontado como “operador” do esquema do mensalão

Pena total: 40 anos, 4 meses e 6 dias

Crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

José Roberto Salgado, ex-dirigente do Banco Rural

Pena total: 16 anos e 8 meses

Crimes: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e evasão de divisas

Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural

Pena total: 16 anos e 8 meses

Crimes: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e evasão de divisas

Cristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério

Pena total: 25 anos, 11 meses e 20 dias

Crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro

Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério

Pena total: 29 anos, 7 meses e 20 dias

Crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Marcos Valério

Pena total: 12 anos, 7 meses e 20 dias

Crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Romeu Queiroz, ex-deputado pelo PTB

Pena total: 6 anos e 6 meses

Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do extinto PL (atual PR)

Pena total: 5 anos

Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro


Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil

Pena total: 12 anos e 7 meses

Crimes: formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: