Taguatinga tem novo administrador: Um “ilustre desconhecido”


Escrito por Felipe Seabra

FOTO: DIVULGAÇÃO

Há pouco mais de um mês as Administrações de Taguatinga e Águas Claras ficaram expostas a noticiários, diariamente, na TV, sites e jornais impressos do DF.

Suspeitos de cobrar propina para liberação de alvarás de construção de grandes empresas, os administradores das duas cidades, Carlos Jales, de Taguatinga e Carlos Sidney, Águas Claras foram afastados, detidos e hoje respondem a inquérito policial.

A população, cansada de ver o comando de suas cidades parar nas mãos de pessoas apadrinhadas por políticos, foi às ruas para se fazer ouvida e escolher, ela própria, os seus administradores.

Nada adiantou. Na última terça, 10, assumiu o comando da Administração Regional de Taguatinga mais um ilustre desconhecido da população.

Seu nome é Marco Aurélio Souza Bessa, auditor da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) e engenheiro civil, que, segundo ele mesmo afirmou a vários sites de notícias, foi indicado pelo próprio governador Agnelo.

Segundo fontes, a indicação foi do governador, porém com a consulta e aval do deputado Distrital Washington Mesquita (PTB), que havia indicado o administrador afastado, Carlos Jales, – o deputado Mesquita aguardava a oportunidade de colocar na regional outro nome a ele vinculado.

Perfil técnico?
De perfil técnico, o novo administrador traz, além da responsabilidade de conduzir os trabalhos na cidade, a difícil missão se fazer acreditado.

A grande questão é: Porque colocar no comando de uma Administração Regional, já manchada por recentes denúncias de corrupção, com cobranças de propinas, alguém que vem de um órgão que, há pouco mais de dois anos, esteve envolvido em escândalos não menos graves? Em 2011, a Operação Action desmontara um esquema de corrupção envolvendo auditores fiscais da Agência de Fiscalisação (Agefis), empresários e grileiros.

Segundo alguns líderes da cidade, a Administração da cidade deve ser conduzida por pessoas de reputação ilibada, sem vícios e “amizades empresariais”.

“A Agefis é um dos órgãos mais suscetíveis a escândalos de corrupção. O Distrito Federal todo passa por lá. São alvarás, licenças e todo o tipo de autorizações que fazem as cidades funcionar. O grande problema é que muitas vezes ouvimos dizer que a fiscalização daquela pasta tem sido conivente com erros e autorizações mediante pagamente de propinas. Por isso, não será novidade se mais uma vez acontecer o que aconteceu com o outro administrador já afastado”, afirma um morador da cidade.
Nem mesmo os mais tradicionais moradores da cidade sabem de onde surgiu o nome de Marco Aurélio. “Morador da cidade há 50 anos, o corretor Getulio Romão não faz ideia de quem seja. “Desde que me conheço por gente conheço os nomes que iam parar na administração. Conhecia e conheci a todos. Precisamos de pessoas conhecidas da população”, afirma.

Justificativas
“O governador Agnelo Queiroz já me conhece há algum tempo e precisava de alguém com perfil técnico, que tivesse nascido em Taguatinga. Ele me fez o convite há pouco e eu aceitei”, revelou o novo administrador a alguns sites do DF.

“O governador me pediu para que a cidade cresça e melhore. Agora, vamos andar por Taguatinga com olhos mais técnicos. Quero arrumar a cidade e praças, além da iluminação”, disse o novo administrador.

Segundo declarações que deu a sites, Marco Aurélio garantiu que não possui ligações partidárias ou políticas e que, para sua escolha, pesaram os 15 anos que passou na Agefis. “Por ter nascido em Taguatinga quero o melhor para minha cidade”, declarou Bessa.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: