Sorte na filiação

Liliane Roriz deu sorte. Por muito pouco não entrou na lista dos deputados que correm risco de perder o mandato caso prosperem as ações do procurador-geral da República contra quem se transferiu para um partido recém-criado como estrategama para, mais tarde filiar-se a um terceiro. Seria violação da fidelidade partidária. Com o pai Joaquim, Liliane discutiu a transferência para outros partidos, inclusive o PSDB, e chegou a bater o martelo com o DEM, manobra que fracassou à última hora. Se estivesse em qualquer desses partidos, correria risco. Joaquim Roriz acabou optando pelo nanico PRTB, por acaso o mesmo que serviu de veículo para a eleição de Lilian.

Fonte: Do Alto da Torre
 

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: