Shirley Temple, atriz mirim e diplomata, morre aos 85


Shirley Temple, atriz mirim e diplomata, morre aos 85

Temple foi responsável pelas maiores bilheterias de cinema entre 1935 e 1938

Shirley Temple, a atriz mirim que encantou os norte-americanos durante os anos da Depressão, morreu na noite de segunda-feira aos 85 anos em sua casa em São Francisco. Segundo sua assessora, Cheryl Kagan, ela morreu por volta das 23h, cercada por seus familiares e cuidadores.

“Nós a saudamos por uma vida de incríveis conquistas como atriz, como diplomata e, mais importante de tudo, como nossa amada mãe, avó e bisavó e a adorável esposa por cinquenta e cinco anos do saudoso Charles Alden Black”, diz um comunicado divulgado pela família.

Talentosa e extremamente adorada, Shirley Temple foi responsável pelas maiores bilheterias de cinema entre 1935 e 1938, recorde do qual nenhuma outra criança sequer se aproximou. Ela também superou em popularidade adultos como Clark Gable, Bing Crosby, Robert Taylor, Gary Cooper e Joan Crawford.

Em 1999, o American Film Institute fez um ranking com as 50 lendas das telas e Temple ficou na posição 18, entre 25 atrizes. Atribui-se a ela a salvação o estúdio 20th Century Fox da falência com filmes como “A Pequena Órfã” (Curly Top) e “A Pequena Rebelde” (The Littlest Rebel).

Quando cresceu e se tornou uma bela mulher, os expectadores perderam o interesse e ela se aposentou dos filmes aos 21 anos. Temple então se casou e formou uma família, posteriormente entrando na carreira política e assumindo vários postos diplomáticos em governos republicanos, dentre eles o posto de embaixadora na Checoslováquia durante o colapso do comunismo de 1989.

Em 1967, ela se candidatou mas não foi eleita para o Congresso pelo Partido Republicano. Depois de Nixon se tornar presidente em 1969, Temple foi indicada como integrante da delegação norte-americana na Assembleia Geral da ONU. Na década de 1970, ela foi embaixadora em Gana e mais tarde chefe de protocolo dos Estados Unidos.

Ela serviu com embaixadora na Checoslováquia durante o primeiro mandato de George Bush. Poucos meses após chegar em Praga, em meados de 1989, o governo comunista na Checoslováquia foi derrubado enquanto a cortina de ferro ruía no leste europeu.

“Meu trabalho (inicialmente) era de direitos humanos, tentando manter pessoas como o futuro presidente Vaclav Havel fora da cadeia”, disse ela em entrevista à Associated Press concedida em 1999. Temple considerava sua experiência no mundo do entretenimento como um ativo em sua carreira política.

“Políticos são atores também, não acha?”, disse ela uma vez. “Geralmente se você gosta de pessoas e é extrovertido, não uma pessoa tímida, pode se dar bastante bem na política.”

Nascida em Santa Monica, filha de um contador e de uma dona de casa, Temple tinha pouco mais de três anos quando iniciou sua carreira em 1932 no Baby Burlesks, uma série de filmes curtos nos quais pequenos artistas faziam paródia de filmes de gente grande.

Após sua carreira cinematográfica ter efetivamente terminado, ela se concentrou em cuidar de sua família e apresentou uma série de 16 programas de televisão chamada “Shirley Temple’s Storybook”, na rede ABC. Em 1960, ela foi para a NBC onde estrelou o programa “The Shirley Temple Show”.

Temple se casou com o militar John Agar, irmão de uma colega de escola, em 1945. O casal atuou junto em dois filmes e teve uma filha, Susan em 1948, mas no ano seguinte se divorciaram.

Em 1950 ela se casou com Charles Alden Black e teve mais dois filhos, Lori and Charles. O casamento durou até a morte do marido em 2005, aos 86 anos.

*Com informações da Associated Press.

Fonte: Agência Estado

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: