Seops prende vendedor de pirataria com 21 passagens pela polícia


Seops prende vendedor de pirataria com 21 passagens pela polícia

Ele foi pego enquanto oferecia as mídias próximo a um supermercado da QN 516 Conjunto 1

A Secretaria da Ordem Pública e Social (Seops) realizou uma ação antipirataria em Samambaia, nesta terça-feira (3). O resultado foi a apreensão de 3,8 mil CDs e DVDs falsificados e a prisão de um ambulante que comercializava parte do material ilegal. O homem coleciona 21 passagens pela polícia.

Ele foi pego enquanto oferecia as mídias próximo a um supermercado da QN 516 Conjunto 1. O suspeito tentou agredir os agentes da Secretaria quando percebeu que seria abordado, mas acabou detido e encaminhado à 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia).

Lá foi constatado que além de ter sido preso anteriormente também pela venda de material pirata, o suspeito teria passagens por desacato, resistência, agressão, violência contra a mulher e lesão corporal.

“É comum que a pirataria esteja associada a outros crimes ou que seus agentes tenham outras passagens por delitos. Por isso é importante a conscientização das pessoas para que elas deixem de financiar uma prática tão ruim para a sociedade”, diz o subsecretário de Operações da Seops, Luciano Teixeira.

Desta vez, o acusado acabou autuado em flagrante pelo crime de violação do direito autoral. Caso seja condenado, poderá ficar entre dois e quatro anos preso, além de ter q pagar multa.

Parte das mídias segue para perícia. As demais serão levadas para uma cooperativa de reciclagem para serem destruídas.

Comércio irregular

Também nesta terça-feira, agentes da Seops, em conjunto com fiscais da Agência de Fiscalização (Agefis), realizaram uma ação para coibir a venda de mercadorias sem autorização às margens da BR-020, entre Sobradinho e Planaltina. Ao todo, 41 mercadorias e 1,5 toneladas de frutas foram recolhidas.

Entre os produtos havia cofres, tendas, caixas de isopor, cadeiras e guarda-sóis. A mercadoria foi levada para o depósito da Agefis, mas poderá ser devolvida se o responsável apresentar nota fiscal e pagar uma multa. As frutas não serão devolvidas e poderão ser doadas a entidades cadastradas.

Autorização

De acordo com a legislação que regula as atividades econômicas do DF, a venda de mercadorias em área pública que não foi autorizada pelo Estado é considerada irregular.

Feirantes e demais lojistas podem conseguir uma autorização na Administração Regional da cidade onde se pretende comercializar produtos.

Para os ambulantes, a opção é solicitar uma licença eventual na Coordenadoria das Cidades. Basta levar ao órgão RG e CPF e se inscrever na lista de interessados.

Vale ressaltar, no entanto, que no Distrito Federal o comércio ambulante está autorizado somente para shows e eventos, com dia e horário definidos. A escolha de quem pode atuar, neste caso, ocorre por sorteio mobilizado pela Coordenadoria das Cidades.

Fonte: Seops-DF

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: