Sem médicos, centros cirúrgicos do Hospital de Base ficam sem funcionar ‘Um verdadeiro DESASTRE este GDF’


Quatro salas não funcionam por falta de anestesistas e técnicos, diz comitê. Secretaria de Saúde afirma que contratação temporária vai resolver problema.

Entrada do Hospital de Base, em Brasília

Quatro dos 16 centros cirúrgicos do Hospital de Base de Brasília estão sem funcionar por falta de anestesistas e técnicos de enfermagem, segundo o Comitê Distrital de Saúde. O hospital é referência em cirurgias de alta complexidade na rede pública do DF. Entre os procedimentos realizados no local estão os de trauma, tratamentos de câncer e neurocirurgias.

O comitê é formado por representantes do Tribunal de Justiça, da Justiça Federal, da Defensoria Pública, da Secretaria de Saúde e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O grupo se reúne, entre outras razões, para monitorar as ações judiciais que envolvam a prestação de assistência à saúde.

O relato elaborado pelo comitê sobre a reunião de 6 de dezembro diz que “de acordo com o secretário [secretário-adjunto de Saúde, Elias Miziara], desde a sua criação, esta é a primeira vez que o Hospital de Base tem os 16 centros cirúrgicos preparados para atender a população, no entanto, quatro unidades estão ociosas pela falta de profissionais.”

Miziara disse ao G1 que os 16 centros cirúrgicos do Hospital de Base nunca funcionaram integralmente, por falta de estrutura e de médicos. Segundo ele, parte do problema foi resolvida com a reforma dos espaços, que começou no fim do ano passado e foi concluída no último semestre, e com a compra de equipamentos.

O secretário-adjunto calcula que 11 mil cirurgias são realizadas no Hospital de Base de Brasília por ano. Com os 16 centros em funcionamento, a expectativa é que esse número suba para 15 mil intervenções.

O documento do comitê diz ainda que “o principal problema enfrentado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no DF, atualmente, é a falta de anestesistas e de técnicos de enfermagem.”

A Secretaria de Saúde reconhece a falta de médicos anestesistas, mas diz que o problema está sendo resolvido com concurso temporário aberto no dia 25 de novembro, para a contratação de 443 médicos, dentre os quais, 30 anestesistas. Atualmente, a rede pública de saúde conta com 364 especialistas dessa área.

“Com os novos contratados, a Saúde poderá oferecer um serviço de mais qualidade à população. Porém, a demanda sempre aumenta, e é necessário investir constantemente em recursos humanos”, afirmou a pasta em nota.

Sobre os técnicos de enfermagem, Miziara informou que o número de profissionais atende à demanda atual, mas não permite uma expansão do trabalho. “Sempre houve o número de técnicos de enfermagem para o número de salas, mas nunca o suficiente para os 16 centros.”

De acordo com secretário-adjunto de Saúde, a publicação da classificação dos aprovados no concurso temporário deve sair ainda esta semana no Diário Oficial do DF e será prosseguida pela contratação dos profissionais.

“A falta de médicos é um problema histórico no DF. Pela primeira vez, os 16 centros estão em condições de atender, com as reformas realizadas e os equipamentos comprados. Agora, estamos trabalhando na contratação dos profissionais”, fala.

Fonte: Rafaela Céo – G1/DF.

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: