Seleção brasileira quer revanche contra o México


Seleção brasileira quer revanche contra o México

Para o Mundial no Brasil, Felipão convocou cinco remanescentes daquela disputa: Neymar, Oscar, Hulk, Marcelo e Thiago Silva, sendo os três últimos na lista de atletas sem idade olímpica

Enfrentar a seleção mexicana causa preocupação a boa parte dos torcedores brasileiros. O trauma mais recente foi na decisão dos Jogos Olímpicos de 2012, quando o El Tricolor bateu os comandados de Mano Menezes por 2 x 1, no estádio de Wembley, em Londres.

Há dois anos, o atacante Oribe Peralta – que hoje defende o América, do México – tirou o sonho da inédita medalha de ouro brasileira ao marcar os dois gols no triunfo. Hoje, ele estará em campo contra a seleção brasileira, que aposta em um troco diante da equipe da Concacaf.

Para o Mundial no Brasil, Felipão convocou cinco remanescentes daquela disputa: Neymar, Oscar, Hulk, Marcelo e Thiago Silva, sendo os três últimos na lista de atletas sem idade olímpica (23 anos).

Neymar chega na condição de craque da seleção, enquanto Oscar parece, enfim, ser o dono do meio de campo. Marcelo e Thiago Silva estão consolidados em suas posições, e Hulk precisa melhorar o condicionamento físico para recuperar a confiança vista nos amistosos pré-Copa.
Autor do gol que garantiu o triunfo de seu país na estreia do Mundial, o carrasco Oribe Peralta avisou: seu time tem condições de atrapalhar o anfitrião e favorito ao título.

“Vamos dificultar a vida deles, esse jogo será crucial. Além disso, é um time que podemos vencer se jogarmos bem”, disse Peralta, confiante não só por ter balançado as redes na magra vitória sobre Camarões, mas por ter sido tão decisivo para o México recentemente a ponto de deixar o astro Chicharito Hernández no banco de reservas.

Além dos gols na final olímpica de 2012, Peralta marcou cinco vezes nos dois jogos contra a Nova Zelândia válidos pela repescagem, tornando-se fundamental para a presença do país no Brasil.
O artilheiro, no entanto, mostra pensamento coletivo para apontar boa fase em todos do elenco após o time correr sério risco de não disputar o Mundial.

“Depois de eliminatórias tão complicadas, esta equipe está visivelmente em alta, pegou o ritmo. Além disso, temos muita gente torcendo por nós aqui, acompanhando a equipe e acreditando em nós. Isso nos dá um impulso ainda maior”, comentou o jogador de 30 anos, colocando-se somente como parte da engrenagem.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: