Retorno à barbárie

Retorno à barbárie

1216-03-01.690x460

No início do mês, um homem foi linchado no Maranhão por suspeita de tentativa de assalto.

Barbárie, fúria, ódio e crueldade. Essas palavras ajudam a descrever as cenas de horror ocorridas em São Luís, no Maranhão, no dia 6 de julho. Naquela segunda-feira, um homem suspeito de tentativa de assalto foi espancado até a morte.

Segundo relatos, Cleidenilson Pereira da Silva, de 29 anos, e um jovem de 16 anos teriam tentado assaltar um bar à mão armada, mas foram surpreendidos pela reação dos clientes. Dominado pela multidão, Cleidenilson foi despido e amarrado a um poste e recebeu socos, chutes, pedradas e garrafadas.

Enquanto alguns desferiam os golpes mortais, outros assistiam ao crime como se estivessem acompanhando uma novela. O julgamento foi sumário, sem direito a defesa. A multidão esqueceu as leis e a própria humanidade para assumir uma atitude irracional. De acordo com o jornal Extra, o menor de idade se salvou porque fingiu que estava desacordado.

Justiceiros
Essa não é a primeira vez que o Brasil vivencia uma onda de barbárie e intolerância. No ano passado, mais de 50 casos de linchamento foram noticiados pela imprensa. Entre os mais conhecidos está o assassinato da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, ocorrido no Guarujá (SP). Ela foi atacada por vizinhos que acreditaram em um boato gerado na internet que afirmava que ela sequestrava crianças para usá-las em rituais de magia negra.

Ainda em 2014, um professor de história de 27 anos foi acorrentado e espancado após ser confundido com um ladrão em São Paulo. Na época, ele contou à imprensa que só escapou da morte porque um bombeiro pediu que ele provasse que era professor dando uma aula sobre Revolução Francesa.

Como evitar mais mortes?
Os casos brutais descritos acima comprovam que a violência não é solução para nenhum tipo de problema. Pelo contrário, atitudes violentas costumam estimular ainda mais ódio. A História mostra que o ser humano só conseguiu avançar em termos políticos, econômicos e sociais quando criou regras e leis que garantissem que todos cumprissem seus deveres e tivessem seus direitos respeitados. Ainda que existam dificuldades a ser superadas, não se pode negar que a humanidade progrediu. A insatisfação com a Justiça ou com o sistema de segurança pública, por exemplo, não pode ser desculpa para que um cidadão decida sobre a vida de outro. Afinal, se agirmos segundo a regra do olho por olho, vamos acabar todos cegos.

Quando a sociedade aceita um espancamento, desce mais um degrau rumo à autodestruição. Concordar com a violência significa aceitar a selvageria como norma de convívio.

Para combater a intolerância, é importante que cada pessoa resgate e cultive dentro de si os valores que diferenciam o ser humano de outros animais: o amor ao próximo, o respeito, a tolerância e o senso de justiça. Isso significa garantir que o culpado tenha uma pena proporcional ao delito cometido e que o inocente tenha o direito de se defender quando acusado de alguma falta. E mais ainda: assegurar que todas as pessoas tenham a possibilidade de viver em paz.

http://www.universal.org/noticia/2015/07/26/retorno-a-barbarie-33678.html

About Germano Guedes

Olá Pessoal, Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”. Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas. Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade. Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural. Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire. Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações. No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade. Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.
%d blogueiros gostam disto: