Reestruturação do Ensino Médio e Educação Integral em debate

gt educacao_11.09_geral

GT de Educação elege prioridades para o relatório final que será apresentado ao Governador
  Conselheiros reunidos durante a quarta reunião do GT de Educação Educação Integral e articulação do Ensino Médio com o Ensino Profissionalizante – estas foram as prioridades eleitas no debate realizado na quarta reunião do Grupo de Trabalho (GT) de Educação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Distrito Federal (CDES-DF). Na manhã desta terça-feira, 11 de setembro, o Secretário de Educação, Denilson Bento da Costa, e os demais conselheiros do grupo se reuniram na Escola de Governo para prestar mais informações sobre os recursos orçamentários da Secretaria e para definir quais propostas serão apresentadas ao Governador Agnelo Queiroz na próxima reunião do Pleno.
Natália Duarte, assessora especial da Secretaria, apresentou o detalhamento do orçamento e a proposta de aumentar o repasse do Produto Interno Bruto (PIB) para a Educação. Necessidades de modernização e reformas, por exemplo, foram citadas como motivos para aumentar o recurso da SEDF, que, atualmente, é originário do GDF e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).
O Secretário divulgou os dados de uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do DF (TCDF) que constatou que 30% das escolas da Secretaria de Educação (SEDF) estão em condições ruins ou péssimas. Além de melhorar a estrutura dessas escolas, Denilson Bento da Costa discorreu sobre outras ações que um maior investimento na área possibilitaria, como o aprimoramento do ensino técnico e profissionalizante. Segundo ele, a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) já prevê a construção e a reconstrução de mais de 100 escolas. Além disso, Denilson Bento informou que, atualmente, está sendo disponibilizado R$ 40 milhões para pequenas reformas nas escolas de todo o DF.
Debate
Para Cláudio Avelar, diretor de estratégia sindical do Sindicato dos Policiais Federais do DF (Sindipol-DF) e relator deste GT, antes de debater a necessidade de mais investimentos é preciso pensar na otimização da gestão. Reinaldo Gomes, coordenador-chefe da Coordenadoria de Articulação Intergovernamental, da Secretaria de Governo, questionou como a Educação se conciliará com o novo modelo de desenvolvimento econômico e social proposto no CDES-DF, com a demanda por profissionais qualificados que acompanhará as propostas de implementação do parque industrial e do polo de biotecnologia no DF.
O rapper GOG declarou que a qualidade do ensino, a proposta pedagógica e o conteúdo que está sendo ministrado em sala de aula é mais importante que a estrutura física das escolas. A cantora Célia Porto concordou, e reiterou a importância de motivar professores e alunos. Wanderlei Pozzembom, representando o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF, ponderou que o aumento da demanda pelos serviços educacionais não pode comprometer a qualidade do ensino.
Articulações
Rafael Pacios, representando a Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP), questionou como incluir as escolas particulares no debate da Educação como um todo. Para o Secretário de Educação, é preciso se articular com o ensino privado, pois não é possível pensar a Educação sem parcerias.
Ivana Fátima, da Secretaria de Trabalho, afirmou que é preciso repensar o Ensino Médio para que a escola se torne mais atrativa para o jovem. Uma das alternativas propostas foi a articulação entre a SETRAB e a SEDF para proporcionar ensino profissionalizante. Denilson Bento afirmou que há uma tendência de modificação do currículo do Ensino Médio em nível nacional, e que a Educação Integral e o ensino profissionalizante devem ser as prioridades. Segundo ele, há a previsão de construção de 17 escolas técnicas.
Para Nilo Sérgio Nogueira, da Coordenadoria de Juventude, é necessário cuidar da criança e do adolescente hoje para se pensar as possibilidades do jovem futuramente. Segundo o Secretário de Educação, o Programa de Gestão Democrática, que institui o voto para os gestores dos centros de ensino, vai responsabilizar com mais afinco os diretores das escolas pela gerência das instituições, o que é uma mudança de paradigma.
Max Maciel, coordenador-geral da Central Única das Favelas (CUFA-DF) e membro do Comitê Gestor do CDES-DF, coordenou os debates e sugeriu a realização de uma reunião extraordinária para debater as novas prioridades do GT: a Educação Integral e o Ensino Médio com viés profissionalizante. Esta será a última reunião antes do Pleno, e terá como objetivo definir as propostas efetivas para o relatório final.
“Tornando-se política de Estado, este Conselho marcará para sempre o Distrito Federal”, afirmou o Secretário de Educação, Denilson Bento, finalizando o GT. A próxima reunião, em caráter extraordinário, está prevista para a próxima semana.
Texto e foto: Comunicação CDES-DF

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: