Problema na Ponte Costa e Silva havia sido alertado há anos

Placas de proteção romperam, uma faixa foi interditada e ponte requer manutenção

Novos sinais de um risco previsto há anos. A pedido do Detran, o Corpo de Bombeiros fechou uma das faixas da Ponte Costa e Silva, no Lago Sul, sentido Plano Piloto. A interdição ocorre devido ao rompimento de placas de proteção da tubulação de água que atravessa o lago pela passarela da ponte. Mas o perigo não é novidade: há três anos foram apresentados ao governo estudos destacando a necessidade de reformas urgentes em pontes e viadutos do Distrito Federal, entre eles a Ponte Costa e Silva.

O rompimento ocorreu na junta de dilatação, a emenda entre as duas metades da ponte, que serve para absorver o impacto provocado com a passagem dos veículos. Duas placas se desprenderam da área colada na grade de proteção. A principal hipótese do Corpo de Bombeiros para explicar o problema é a variação de temperatura, mas uma avaliação técnica deverá ser feita no local apenas hoje.

“Um engenheiro da Defesa Civil ou da Administração Regional do Lago Sul terá de fazer uma avaliação completa para decidir se a ponte deve ser fechada. A nossa avaliação confirmou a rachadura, mas não temos autoridade para tomar nenhuma decisão a respeito do trânsito”, explica o Tenente B. Costa, dos bombeiros.

Prevenção

Para especialistas, o acidente poderia ter sido impedido e previsto. Indagado sobre as condições da Ponte Costa e Silva, antes mesmo de saber da rachadura constatada ontem, o professor da Faculdade de Engenharia da UnB Dikran Berberian tinha a resposta na ponta da língua: “É falta de manutenção das placas. O problema lá não é sobrecarga, porque lá não transitam veículos pesados”, avalia.

O ideal, de acordo com o especialista, é que essas grandes edificações passem por manutenções preventivas a cada três anos. “Como se fosse um clínico geral, algo superficial. Detectou algum problema, aí sim, é hora de parar tudo e consertar”, conclui Dikran.

Versão Oficial
De acordo com a Secretaria de Comunicação, a Capitania dos Portos foi acionada para fazer a segurança no Lago Paranoá e isolar o perímetro de risco. A Novacap enviará equipe ao local hoje para fazer os reparos. A ponte passará por inspeção da Defesa Civil, Administração do Lago Sul e os responsáveis pela construção do monumento.

Memória

Alertas sobre a situação desta e de outras pontes e viadutos já foram emitidos pelo Sindicato de Engenharia e Arquitetura (Sinaenco), após estudo feito entre 2009 e 2011. A situação foi mostrada pelo JBr em 5 de agosto de 2011 e 10 de novembro de 2012. A entidade alertou sobre a necessidade de manutenções periódicas.

Leia mais na edição digital. Clique aqui e leia esta e outras notícias na íntegra.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: