PRF abre inscrições para 216 vagas; especialista em administração dá dicas

(Foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press) 

Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

Em menos de quatro meses da autorização do Ministério do Planejamento, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) lançou edital de abertura de seu mais novo concurso público. Como anunciado pelo Correio, são oferecidas 216 vagas para o cargo de agente administrativo, que exige nível médio de formação. A Fundação Professor Augusto Bittencourt (Funcab) é a banca organizadora responsável pela aplicação das provas objetivas, com aplicação prevista para o dia 25 de maio.

Há vagas para todo o Brasil. O estado detentor do maior quantitativo de chances é o Rio Grande do Sul, com 25 vagas; seguido por Santa Catarina, com 19 vagas. Brasília, onde se encontra a sede do departamento da PRF, tem à disposição oito oportunidades

O salário para o posto é de R$ 2.043,17, para cumprimento de uma jornada de 40 horas semanais de trabalho. Quem quiser se inscrever deve acessar o sitewww.funcab.org , entre os dias 9 e 30 de abril. A taxa custa R$ 60. Cinco por cento das vagas é reservada a pessoas com deficiência.

As provas objetivas serão compostas por 60 questões de múltipla escolha (cinco alternativas), em que serão cobrados conhecimentos sobre as disciplinas de língua portuguesa, ética e conduta pública, raciocínio lógico, noções de direito constitucional, administrativo, de administração, arquivologia, informática e legislação aplicada à PRF. Além dos exames objetivos, os candidatos ainda serão submetidos a investigação social.

Para o analista de gestão púbica do MPU e professor de administração geral e pública do IMP Concursos, Renato Lacerda, o tempo para as provas é curto e o conteúdo cobrado muito abrangente. “Vai cair praticamente tudo de administração geral e pública e gestão de pessoas. Os estudantes devem saber diferenciar os três modelos da administração: patrimonialista, burocrática e gerencial. Lembrando que na gerencial moderna são adotas práticas da gestão privada na gestão pública, mas sempre resguardando o caráter público, ou seja, a aplicação dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”, explica.

A excelência no serviço público também é um tópico importante, segundo o especialista. “Existem dois modelos que devem ser adotados pela administração pública com o objetivo de avaliar a qualidade do serviço: Gespublica (www.gespublica.gov.br), criado pelo Decreto 5.378/2005, e o modelo da Fundação Nacional da Qualidade FNQ (www.fnq.org.br), que foi atualizado em 2013, e passou a orientar também a Saúde e Educação”.

Sobre a banca, o professor afirma que a Funcab tem um estilo de prova mais ‘tranquila’, dentre as bancas de múltipla escolha, “se parece com a Fundação Carlos Chagas, e costuma cobrar conhecimentos mais memorizados e retirados de livros”. Para aprimorar os estudos, Lacerda indica refazer a prova da Sudeco, recentemnete aplicada pela Funcab, para que o candidato identifique o estilo das questões da organizadora. “A Funcab costuma adotar os livros de gestão de pessoas Idalberto Chiavenato, Hugo Pena Brandão, Fleury e Fleury, e Augustinho Vicente Paludo”, recomenda.

Os gabaritos das provas devem ser publicados no dia 27 de maio, e o resultado final do concurso está previsto para sair no dia 30 de junho.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: