Pressionando Ministros do Tribunal Superior Eleitoral

Aceite Certidões Cíveis no registro de candidaturas para as Eleições de 2014

Passados 4 anos desde a aprovação da Lei Ficha Limpa, ainda falta um passo fundamental para que candidatos “ficha suja” tenham suas candidaturas rejeitadas. Esse passo é muito simples e basta uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral para que aconteça. O que estamos pedindo é que as Certidões Cíveis dos candidatos sejam requeridas no processo de registro de candidatura, assim como já é requerida a Certidão Criminal.

Nós somos do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e já estamos lutando contra a corrupção há anos. Foi o nosso movimento que idealizou a Ficha Limpa, e nós que saímos às ruas para coletar mais de 1,3 milhão de assinaturaspara apresentar este projeto de lei de iniciativa popular. E foi graças à pressão da sociedade sobre nossos parlamentares que a Ficha Limpa foi aprovada.

Esta campanha é urgente, o TSE só tem até 5 de março (menos de um mês) para apresentar as resoluções que serão válidas para as eleições de outubro de 2014. Nós contamos com a sua ajuda para pressionar o TSE para que a Ficha Limpa cumpra sua promessa de barrar corruptos das urnas. Assine!
Para:
Ministros do Tribunal Superior Eleitoral, Presidente do TSE
Min. Marco Aurélio Mendes de Farias Mello, Presidente do TSE
Min. José Antonio Dias Toffoli, Relator das Resoluções do TSE
Laurita Hilário Vaz, Ministra do TSE
João Otávio de Noronha, Ministro do TSE
Henrique Neves da Silva, Ministro do TSE
Luciana Christina Guimarães Lóssio, Ministra do TSE

Pedimos que o TSE, na Resolução que editará até 5 de março de 2014 sobre o registro de candidatura para as eleições deste ano, exija dos aspirantes à candidatura que comprovem que não estão incursos em nenhuma das hipóteses de inelegibilidade previstas na LC nº 64/90, por meio da apresentação das Certidões Cíveis, além das Certidões Criminais. Nós, brasileiros que temos esperança na melhoria da.

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: