PP só decide amanhã a quem dará seu apoio


PP só decide amanhã a quem dará seu apoio

Divisão e bate-boca marcam reunião do partido, que está entre Agnelo e Arruda para governador

As convenções de ontem pouco ou nada resolveram, no cenário político brasiliense. No PP, depois de reunião tensa de mais de duas horas a portas fechadas, a decisão ficou para amanhã, quando o partido decidirá por Agnelo Queiroz (PT) ou José Roberto Arruda (PR). Eliana Pedrosa (PPS) e Luiz Carlos Pitiman (PSDB) anunciaram suas candidaturas ao Buriti, porém, isolados, não devem manter seus nomes, até 4 de julho, último dia para a inscrição das chapas.

No PP, o presidente Benedito Domingos está cada vez mais isolado. A maioria da Executiva regional do partido tende, contra a vontade do veterano, a apoiar o ex-governador Arruda. Por sua vez, o presidente quer seguir a Executiva nacional, que apoiará o PT.

Para tentar contornar o problema, Benedito tentou destituir a Executiva, o que provocou bate-boca dentro da sala. A intenção foi abandonada.

Por fim, os membros da cúpula do PP decidiram constituir uma comissão provisória, formada pelo próprio Benedito, o vice-presidente Paulo Octávio e os distritais Paulo Roriz e Doutor Michel.

“A convenção deu autorização a uma comissão executiva para que ela faça os entendimentos necessários para formarmos coligações e nos anunciaremos na segunda-feira, no auditório da Associação Comercial em Taguatinga”, afirmou Benedito, que negou a existência do impasse entre os principais membros do partido.

Por sua vez, Paulo Octávio não escondeu a insatisfação da Executiva. “Existe uma divisão dentro do partido. O PP está apoiando o governador Agnelo há algum tempo, mas estamos apurando e a tendência é procurarmos o melhor”, diz.

A divergência está na formação das coligações a distrital. Para manter o PP na base, segundo os membros do partido, o PT ofereceu ao partido uma coligação entre ambos, o que foi repudiado pelos distritais. “Eu não aceito. Se for dessa forma, eu e todos os pré-candidatos vamos retirar nossas candidaturas”, esbravejou Paulo Roriz, em conversa com Doutor Michel, que aceita se a coligação for com o PMDB.

Michel também ponderou sobre uma aliança apenas com o PR. “Não podemos aceitar também que venha apenas o PR . Tem de ser PR e PTB na mesma chapa, do contrário estamos mortos”, disse ao colega.

Pedrosa e Pitiman sem aliança

O dia também foi de homologações de candidaturas por parte Eliana Pedrosa e Pitiman.

A distrital pediu em seu discurso que os membros do partido apoiem sua candidatura até o final, mas não anunciou composição com nenhum partido e continua sem candidatos a vice ou ao Senado.

Eliana afirma que não abandonará a candidatura. “Queriam que eu vendesse a nominata do PPS, mas eu não fiz isso. Não faremos porque temos muitos candidatos que acreditam no nosso trabalho. Sou candidata dos mais simples e dos que têm mais condições”, declarou Pedrosa, que ainda poderá mudar de ideia até amanhã, já que na leitura da ata da convenção ficou em aberto essa possibilidade.

Sem conseguir decolar com sua pré-campanha, o tucano Luiz Pitiman teve o nome homologado pelo PSDB ontem. Sem sinalização de qualquer aliança pela frente, o destino da campanha de Pitiman, agora, está nas mãos do candidato à Presidência, Aécio Neves.

Responsabilidade

“Vamos trabalhar até o dia 4 para definir o que será feito. Essa responsabilidade foi transferida para a Executiva nacional do partido”, afirmou Márcio Machado, ex-presidente regional do PSDB.

Hoje serão realizadas as convenções do PT, de Agnelo Queiroz, e do PR, de Arruda.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: