Por um sorriso mais feliz


Rayane Fernandes
Especial para o Jornal de Brasília

Pequenos gestos podem fazer as pessoas mais felizes. Crianças com fissuras labiopalatais, mais conhecidas como lábios leporinos, ganharam uma divertida festa em comemoração ao mês da criança. Elas receberam presentes e brincaram à vontade, em evento organizada pela Associação Brasiliense aos Fissurados e Lábios Leporinos (Abrafis) com o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). 

O trabalho feito pela Abrafis conta com a participação de voluntários, que dão apoio às famílias das crianças que nascem com a anomalia. “Doamos leite, fralda, material cirúrgico. Também damos apoio à equipe de fonoaudiólogos, nutricionistas e médicos”, diz Elisa.

Cirurgias

O Hran é o único hospital do Distrito Federal que oferece tratamento e cirurgia a pacientes com a anomalia. De janeiro até maio deste ano, foram feitas nada menos que 60 operações. Em todo o ano de 2012, 200 pacientes passaram pela cirurgia.

Marina Mendes da Cruz tem 11 dias de vida e nasceu com lábios leporinos. “Fizemos várias ecografias, mas não apareceu nada. Eu estava assistindo ao parto e, quando ela nasceu, eu parei no tempo”, contou o pai de Marina, Deusimar Mendes.

Mas o susto foi só no momento do nascimento. “No dia em que ela nasceu eu não estava preparada para vê-la. Hoje não vejo isso como um problema. Estou muito confiante quando for para realizar a cirurgia. Sei que tudo vai dar certo”, relatou a mãe da criança, Nilza Maria Lima.

Ponto de Vista

O cirurgião Marconi Delmiro afirma que a anomalia acomete a criança entre a 4ª e a 12ª semana de gestação. As causas podem ser genéticas ou ambientais e a cirurgia do lábio pode ser feita com três meses de idade. A do palato, a partir de um ano.

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: