PMs prometem parar policiamento. Fala-se em uma paralisação por 24 horas


PMs prometem parar policiamento. Fala-se em uma paralisação por 24 horas
A categoria que caminhou até agora sem a participação de entidades representativas, corre riscos.

Uma das reivindicações dos policiais militares e bombeiros militares é a equiparação salarial com as outras categoria da Segurança Pública. Afirmam que praças da PMDF e do Corpo de Bombeiros são os que recebem o menor salário entre os órgãos da segurança pública.bEnquanto isso, a crise na segurança pública nos assusta.

Cartazes incentivando o movimento conhecido com “Operação Tartaruga” foram espalhados pelas ruas do Distrito Federal desde sábado passado. Tudo pago com recursos dos próprios bolsos dos praças PMs e BMs. Nenhuma associação se propôs a ajudá-los. …

O GDF que até hoje afirmava que não existia a “Operação Tartaruga”, e sim, um pequeno movimento de alguns, que pretendem concorrer às próximas eleições, e tentam conquistar eleitores usando a Segurança Pública como trampolim, hoje mudou o discurso.

Policíais só atendem ocorrências consideradas graves e não ultrapassam a velocidade da via. Enquanto isso, os delinquentes tomam conta das ruas. A falta de ação efetiva de policiais militares nas ruas, afeta consideravelmente a vida do brasiliense.

O secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, diz que ainda é cedo para avaliar se houve efetivo aumento da violência, em comparação com o mesmo período do ano passado. Afirma que o número de homicídios, latrocínio, roubo e sequestro relâmpago caiu no ano de 2013, mas admite que a redução no número de apreensões de armas pela PM, pode ter influenciado no aumento da criminalidade. Só ele não quer enxergar.

A tropa continua insatisfeita, e promete radicalizar o movimento com a Operação Tartaruga até a Copa do Mundo.

Sandro Avelar explica, que está acompanhando o movimento dos PMs, ele acredita que o comando-geral da PM também está atento ao movimento e ao aumento da criminalidade.

Além de Outdoors nas ruas, os PMs pretendem espalhar faixas, cartazes e distribuir panfletos nos pontos mais movimentados de todo Distrito Federal.

Enquanto o interesse de dialogar não chega, vemos chacinas, latrocínio (roubo seguido de morte), homicídios, tráfico de droga, sequestro relâmpago, assaltos a bancos, a pessoas, postos de combustíveis, lanchonetes, comércio, residências e até o surgimento da quadrilha da marcha a ré. Esse é o quadro da violência vivido diariamente pelo brasiliense. Só neste fim de semana ocorreram 12 assassinatos no Distrito Federal.

Mas, Policiais e Bombeiros correm um grande risco, serem alvos dos pseudos milagreiros na tentativa de induzi-los e conduzi-los a uma paralisação total, quando certamente perderão o apoio daqueles que até agora se mantiveram ao seu lado. A população.

Não se deixem usar. Fiquem todos com Deus.

Fonte: Redação com informações do Blog Rota de Segurança – 28/01/2014

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: