Piscinas serão reabertas

ROBERVAL EDUÃO

Piscinas serão reabertas
Licitação para manutenção dos espaços está marcada para o próximo dia 16
 
Em meio ao atual período de seca que assola Brasília, a Secretaria de Esportes do Distrito Federal tem uma carta nas mangas para reativar 20 piscinas públicas fechadas por falta de manutenção e limpeza, distribuídas nos Centros Olímpicos do Distrito Federal. Marcada para a manhã do próximo dia 16 de julho, uma licitação pode representar a solução para moradores de várias regiões administrativas, que desejam usar as instalações para aulas de natação e atividades aquáticas nos finais de semana, interditadas desde março de 2012. Cerca de duas mil pessoas deverão utilizar os espaços diariamente.
O processo de licitação foi aberto pelo Governo do Distrito Federal (GDF) este mês. Para liberar o funcionamento das piscinas, empresas interessadas deverão dispor-se a cumprir serviços de limpeza, manutenção e conservação, no pregão marcado para ser realizado no próximo 16 de julho. Entre todas as nove Centros Olímpicas do DF, o resultado é de atuais 20 piscinas interditadas, devido ausência de uma empresa responsável pela administração e cuidados. Estimativas da Secretaria de Esportes apontam que os centros devem retornar com as aulas de natação até meados de agosto. Um contrato de R$ 10 milhões será utilizado para manutenção, por um período de dois anos. 
Para o secretário de Esportes, Célio René, a licitação é indispensável para sanar qualquer eventual problema, relacionado à uma manutenção complicada de se realizar, e reativar a utilização dos reservatórios de água. “A manutenção de piscinas como estas, que funcionam durante 14 horas diárias, e por muita gente ao mesmo tempo, não é uma manutenção simples de limpeza. Trata-se de serviço especializado, com limpeza constante, controle de PH e controle de cloro”, esclareceu. As empresas vencedoras do processo licitatório deverão providenciar substituição de pisos, fornecimento de peças e material químico e cuidados da casa de máquinas e de equipamentos diversos.
Além das questões materiais e de manutenção, cada Centro  Olímpico deverá disponibilizar um profissional durantes os períodos de atividades, para realizar procedimentos de controle e, consequentemente, arcar com padrão de qualidade das piscinas semiolímpicas, que medem 25 metros de comprimento e 12 de largura. Na Vila Olímpica de São Sebastião, uma lona estendida sobre metade da piscina esconde uma água de tom esverdeado, claramente colorida pela ação do tempo sem uso. A moradora da cidade, a autônoma Gisele Antônia, 29 anos, espera que a instalação  do centro da região administrativa volte, para poder utilizá-la e matricular os filhos na aula de natação. “É uma opção para o pessoal de São Sebastião que, para se divertir nos finais de semana, é obrigado a se deslocar até o Plano Piloto,”, comentou.

Centros Olímpicos – Existem atualmente nove Centos  Olímpicas, localizadas nas regiões administrativas de Brazlândia, São Sebastião, Ceilândia, Estrutural, Gama, Santa Maria, Samambaia, Riacho Fundo I e Recanto das Emas. Por mês, estes centros atendem cerca de 50 mil pessoas e oferecem aulas diversas, entre atividade física orientada, atletismo, basquete, ginásticas artística e acrobática, desenvolvimento motor, capoeira, futebol de areia, futsal, futebol society, handebol, hidroginástica, tênis e vôlei de quadra.. Segundo a Secretaria de Esportes, 17.898 alunos estão matriculados.  O GDF abriu mais de 10 mil vagas este mês. As atividades são gratuitas e interessados em participar da seleção devem se dirigir aos Centros Olímpicos no período das 8h às 12 e das 14h às 18, apresentar atestado médico, declaração escolar, no caso de crianças e adolescentes, foto 3×4 e termo de compromisso.

Da Redação do Alô

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: