Pesquisa JBrExata: brasiliense quer Carnaval sem verba pública

Brasilienses apoiam decisão de não financiar escola de samba e querem que dinheiro do Buriti custeie Saúde

Francisco Dutra20160125095332

Os brasilienses  preferem que o Governo do Distrito Federal não gaste um centavo dos recursos públicos com o Carnaval neste ano. Foi o que constatou pesquisa do Instituto Exata de Opinião Pública (Exata OP). Em linhas gerais, 92% dos brasilienses defendem que o dinheiro aplicado na folia fosse destinado para remediar  as  graves carências na Saúde, Educação e Segurança.

De cada 10 cidadãos, nove esperam que o  Buriti investa na solução dos  problemas que torturam os contribuintes diariamente.

“A população não está para festa. Para o brasiliense, o governo deve investir em benefícios nos serviços públicos e não no Carnaval”, afirmou o diretor da Exata OP, Marcus Caldas. A postura popular é consequência da grave crise financeira nacional e local. O estudo colheu a opinião de 600 cidadãos, em  21 de janeiro deste ano.

“De cara, o cidadão  prefere principalmente o investimento dos recursos públicos na Saúde. Esta área não sai da cabeça do brasiliense. Afinal, é uma agonia sem fim”, explicou Caldas.

Sem repasses diretos, o governo investirá R$ 800 mil no apoio dos blocos de rua. O gasto poderia ser ainda maior, pois as escolas de samba batalharam para conseguir R$ 13 milhões para a realização do desfile neste ano. O governo não liberou os recursos, alegando falta de verba. Segundo Caldas, está claro que o GDF fez sacrifícios e cortes, mas em contrapartida o Buriti não  deixou claro o que fez ou fará com dinheiro poupado.

Erro estratégico

“É um erro estratégico do governo. Deveria ter mais transparência neste ponto. Até porque o estudo mostrou que 73,7% foram a favor de que o GDF não patrocinasse as escolas de samba”, completou. A pesquisa também levantou os planos do brasiliense para o feriado. A maior parte das pessoas não está pensando em sambar ou cantar, mas sim em descansar. Este grupo é formado por 45% da população. Na sequência, os principais projetos são viajar e participar de retiros religiosos, com respectivamente 20,3% e 18,7%. “O retiro em terceiro lugar confirma o crescimento da religiosidade no DF, principalmente da comunidade evangélica”, avaliou.

Mas há futuro para o Carnaval no DF, caminho que segue pela  irreverência popular  dos blocos de rua. “A maioria da população não vai pular nas festas. Mas temos 30% que acham que os blocos podem se consolidar como opção de folia. Isso é muito expressivo e mostra que os blocos   de rua estão no nosso DNA”, apontou. Para  Caldas, a  consolidação da folia dos  blocos não deve ser custeada pelo governo e sim com   parcerias com a iniciativa privada.

Secretário acha “natural” a preocupação

“Neste momento de crise, entendo a percepção da população. Por outro lado, o Carnaval é uma festa popular, tradicional e histórica. É uma das grandes festas do povo brasileiro. O estado não poderia estar ausente. É natural que as pessoas tenham essa posição e compartilho dessa preocupação”, disse o secretário de Cultura, Guilherme Reis, após conhecer as linhas gerais da pesquisa do instituto Exata OP.

O secretário explicou que o governo precisa estar presente na organização do Carnaval, seja para preservar os direitos dos foliões, seja para assegurar a tranquilidade de quem deseja descansar. Segundo Reis, os recursos públicos investidos neste ano são da Secretaria de Cultura e não poderiam ser investidos em outras áreas.

“Se estivéssemos em uma situação financeira mais confortável, iriamos investir mais em cultura. Hoje os investimentos estão aquém do necessário e isso está gerando problemas para o DF. Sem cultura, vemos crescer uma sociedade consumista, individualista e educada pela TV. Nossas cidades, estão desassistidas culturalmente. Cultura também é cidadania, também é desenvolvimento”, argumentou.

O governo  prometeu que, neste semestre, buscará ajudar os blocos de rua e as escolas de samba a selar parcerias com empresas para que elas financiem o Carnaval 2017.

Ponto de Vista 

O debate sobre a Lei do Silêncio ganhou destaque no DF. Segundo Guilherme Reis, a discussão não impedirá a folia carnavalesca. “Há quem goste e quem não goste. Isso é normal em qualquer cidade brasileira. Agora isso gera um pequeno  impacto na Cultura, na medida em que desemprega  músicos. O governo montou um grupo de trabalho para rever essa lei. Devemos mandar uma proposta para a Câmara Legislativa”, explicou. Neste sentido, existe uma chance de   parceria com o deputado Ricardo Vale (PT), que já tem um projeto em andamento na Casa.

 

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

http://www.jornaldebrasilia.com.br/noticias/politica-e-poder/664151/pesquisa-jbrexata-brasiliense-quer-carnaval-sem-verba-publica/

About Germano Guedes

Olá Pessoal, Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”. Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas. Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade. Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural. Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire. Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações. No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade. Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.
%d blogueiros gostam disto: