Pedido de impugnação é um erro do MPE, diz Russomanno

Pedido de impugnação é um erro do MPE, diz Russomanno

Candidato do PRB afirmou ter pago duas vezes multa que gerou processo contra sua candidatura

Ricardo Chapola – estadão.com.br

SÃO PAULO – Alvo de impugnação do Ministério Público Eleitoral (MPE) por supostamente não ter pago uma multa de R$ 5 mil em 2010, quando postulava o governo do Estado, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, classificou nesta terça-feira, 17, a denúncia como um erro do órgão. O ex-deputado alegou ter pago a multa duas vezes, uma por excesso de zelo, e outra por obrigação.

link Russomanno ganha fôlego com ajuda de PT e PSDB


“O MP erra quando não levanta o processo. Antes de você impugnar má candidatura, precisa ver se aquilo que se acusa é verdadeiro. Ela foi paga, em julho ( de 2011), se não me engano. Até publiquei os comprovantes no Facebook e no Twitter”, disse, após fazer corpo a corpo no Mercado Municipal da Lapa, zona oeste da capital. “Eles deveriam ter visto para não expor as pessoas”.

Corpo a corpo. Em caminhada pelo Mercadão da Lapa, Russomanno foi beijado e adorado pelos eleitores, que se dizem, antes de tudo, seus fãs. “Celso, eu te amo”, afirmou uma mulher, ao abraçá-lo, beijá-lo e lhe prometer o voto. Outra eleitora, na cadeira de rodas, chorou ao encontrar o ex-deputado, também apresentador do quadro “Patrulha do Consumidor”, veiculado pela Rede Record. Ela disse assistir sempre ao programa e que estava muito emocionada por conhecê-lo pessoalmente.

Questionado sobre se sua campanha não seria efeito do recall de suas aparições periódicas na TV, Russomanno disse que o carinho de seu eleitorado não é temporário. “Fico feliz que as pessoas gostam do meu trabalho, é reconhecimento. Não é só fachada. Se fosse recall, seria uma coisa muito boa, porque recall só aumenta. Venho subindo nas pesquisas e, se de fato fosse um recall ao contrário, teria caído nelas. Acho que o carinho que as pessoas tem por mim não é um carinho temporário”, disse.
As principais demandas dos moradores do bairro da Lapa foram com relação à saúde e ao transporte.
Bola fora. O deputado estadual do PRB, Gilmaci Santos, membro da comitiva que acompanhou Russomanno no corpo a corpo no Mercadão da Lapa, foi para a agenda com um carro oficial da Assembleia Legislativa de São Paulo. Santos admitiu ter usado o carro, mas disse que só estava de passagem, pouco antes de ir trabalhar, quando foi avisado da agenda. “Estava passando por aqui, indo trabalhar. Soube pelo Facebook que ele Russomanno estava aqui”, justificou, depois de passar cerca de 40 minutos junto com o candidato.
A Justiça Eleitoral condena o uso de equipamento administrativo durante a campanha, prática que configura pela lei uso da máquina pública.



About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: