Orgulho nerd: evento reuniu pessoas de todas as idades


Orgulho nerd: evento reuniu pessoas de todas as idades

O encontro dos nerds – ou geeks, como alguns se definem – foi organizado pelo quarto ano consecutivo por membros da Omninérdia, na 409 Norte

Presas com a ajuda de alfinetes, broches com figuras de personagens de desenhos animados ou amarradas no pescoço como se fossem capas de super-heróis, as toalhas se tornaram traje obrigatório dos nerds assumidos de Brasília, que comemoraram ontem o Dia da Toalha. O evento, que é conhecido em todo o mundo por homenagear o escritor britânico e autor da série O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams, teve comemorações espalhadas em pelo menos 21 países, sendo seis delas no Brasil. O Dia da Toalha também coincide com o Dia do Orgulho Nerd, celebrado na mesma data em que foi ao ar o primeiro capítulo da velha trilogia de Guerras nas Estrelas (Star Wars), em 1977, com o episódio Uma Nova Esperança.

O encontro dos nerds – ou geeks, como alguns se definem – foi organizado pelo quarto ano consecutivo por membros da Omninérdia, na 409 Norte. O espaço trouxe ainda exposições de livros infantis, séries de TV, uma feira nerd, além de caricaturas e um quiz de torta na cara com perguntas sobre o “universo geek”.

Troca

“A ideia sempre foi de divulgar e explorar o lado nerd. Aqui falamos sobre assuntos relacionados a games, jogos de RPG, tabuleiros, livros, séries e até história em quadrinhos. É uma troca de experiências e informações que só os nerds entendem. Hoje, o nerd virou chique”, disse o engenheiro de computação Ricardo Mallen, de 38 anos.

No “mundo dos nerds” desde que era criança, ele agora tenta influenciar a filha Stella Siquierolli, de quatro anos. “Na verdade, eles com essa idade já nos derrotam no videogame”, contou. Stella foi a vencedora do prêmio de melhor traje na categoria infantil.
Os irmãos Bernardo Rodrigues, de 10 anos, e Ricardo Caldas, de 17, comemoraram o Dia da Toalha procurando informações sobre novos jogos. Sem titubear, afirmam que passariam jogando videogames o dia todo, se possível. “Sem dúvida, só pararia para comer. Adoro videogame”, disse Bernardo.
Já Ricardo, que prefere jogos de RPG, afirmou que o nerd tem conquistado o seu espaço “sem medo de pagar mico”. “Antes éramos vistos como antissociais, ou que preferiam interagir com um jogo a pessoas. Não é verdade, apenas descobrimos hobbies que nos interessam”, defendeu. A única briga entre irmãos é para ver quem consegue pegar o Ipad primeiro. “Ficamos antenados às atualizações dos jogos na internet”, diz Ricardo.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: