No dicionário do brasiliense, “política” é palavrão, aponta pesquisa Metrópoles/Dados

“Péssima” foi a palavra mais usada pelos entrevistados para definir o enredo dos Três Poderes da República. Os inconformados vão direto ao ponto e decretam que a política é uma “merda”

Brasília(DF), 03/12/2015 - Palácio do Planalto em dia de chuva Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

Brasília(DF), 03/12/2015 – Palácio do Planalto em dia de chuva Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

A novela da política brasileira tornou-se um fracasso de público. O enredo estapafúrdio e sem núcleos de mocinhos desiludiu a audiência. Em pesquisa encomendada pelo Metrópoles ao Instituto Dados, os eleitores do Distrito Federal foram provocados a definir em uma palavra o que pensam da política na cidade. E sabe qual o resumo desta triste ópera? “Péssima”, foi o termo escolhido por 17,5% dos eleitores.

Cheios de revolta, os brasilienses soltaram o verbo para expressar o que sentem diante do folhetim político do país. Ao todo, 75,9% dos entrevistados escolheram “merda”, “fraca”, “mediana”, “horrível”, “lixo”, “sujeira”, “vergonha”, “descaso”, “corrupção”, “podre”, “mentirosa”, “incompetência”, “quadrilha”, “facção” e “inoperante” como as palavras que mais representam o que pensam da política.

Não é de se estranhar, já que essa trama choca cotidianamente os espectadores. Em episódios recentes, a presidente da República tem enfrentado uma impopularidade enorme dentro e fora das salas de reuniões políticas. Aliados e adversários estão absorvidos pelo processo de impeachment, pauta que fechou o ano do Judiciário, indicando para o início de 2016 cenas dos próximos capítulos dessa crise política.

E no núcleo do Palácio do Planalto não tem par romântico. O partido aliado do governo está dividido. O vice, magoado, escreveu uma carta à chefe, reclamando do papel decorativo que exerce. A plateia de milhões de brasileiros ficou chocada com a cena. E toma-lhe substantivos para definir esse sentimento: “hipócrita”, “sarcástica”, “falsa”, “traição”.

A “tristeza” e o “lamento”, como apontou a pesquisa, foram sentimentos comuns dos cidadãos sobre o tema. “Destruída”, a política chegou ao nível de “desrespeito”, bradaram os espectadores.

Nem adianta olhar o roteiro local com um ar de esperança. Aqui a saga não é menos dramática. Mergulhado em uma grande crise, o governo local não paga salários, aumenta impostos, deixa faltar remédios nos hospitais. A irritação do povo só aumenta. E o cidadão sentencia: é tudo “bandalheira” e “cachorrada”.

A lista de impropérios sacados pelos entrevistados é longa. Das 45 palavras apontadas pelas 1.202 pessoas ouvidas durante o levantamento, apenas cinco são positivas. “Paz”, “trabalho”, “boa”, “ótima” e “honestidade” só foram mencionadas por 0,6% das pessoas ouvidas.

E, obviamente, que não dá para falar de política sem que o clímax seja “pizza”. É o que temos para hoje.

No dicionário do brasiliense, “política” é palavrão, aponta pesquisa Metrópoles/Dados

About Germano Guedes

Olá Pessoal,
Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”.
Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas.
Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade.
Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural.
Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire.
Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações.
No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade.
Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.

%d blogueiros gostam disto: