No DF, mais de mil nomes irão tentar concorrer a um cargo político


No DF, mais de mil nomes irão tentar concorrer a um cargo políticoA maior parte das candidaturas foi feita ontem, o que exigiu plantão no TRE das 10h às 21h
Daniel Cardozo


O último dia para registro de candidaturas foi agitado no Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal. Foram registrados 1146 pedidos de candidatura entre para governador, vice-governador, senador, deputado federal e deputado distrital.

A maior parte das candidaturas foi feita ontem, o que exigiu plantão no TRE das 10h às 21h. Os grupos políticos levaram seus cabos eleitorais, que aplaudiam e tiravam fotos com cada um dos candidatos.

As chapas

A chapa que busca a reeleição será composta por PT, PMDB, PRB, PCdoB, PRP, PPL, PV, PP, PTN e PTdoB, PROS, PSC, PEN, PTC, PSL e PHS. Os candidatos ficam mantidos, com Agnelo Queiroz (PT), Tadeu Filippelli (PMDB) e Geraldo Magela (PT), como governador, vice e senador respectivamente. Os suplentes ao Senado serão o bispo Renan Ferreira (PSC) e um nome a ser indicado pelo PP.

O PR sairá com José Roberto Arruda que tentará novamente ficar a frente do Buriti. Para o Senado, o candidato que tenta a reeleição é Gim Argello (PTB). Além das duas legendas, também estão coligados o DEM, PRTB, PPS e PMN. A ex-primeira dama Weslian Roriz foi escolhida a primeira suplente.

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) tentará ser governador ao lado de Renato Santana (PSD) e apoiando a candidatura do deputado federal José Antônio Reguffe (PDT) ao Senado. O Solidariedade completa a chapa. Os suplentes de senador serão José Carlos Vasconcelos (PDT) e Fadi Faraj (SDD).

Toninho do PSOL entra na disputa ao governo pela terceira vez, acompanhado de PSTU e PCB. O vice será Antônio Ricardo Guillen (PSTU) e o senador Aldemário Araújo (PSOL).

A coligação do PSDB foi completada por PPS e PSDC. O cabeça da chapa é o deputado federal Luiz Pitiman, com Adão Cândido e Sandra Quesado (PSDB), como candidatos a vice e ao Senado.

O PCO também registrou candidaturas ao governo do Distrito Federal, com Percilliane Marrara, tendo como vice Gilson Dobbin. Ao Senado, o partido lançou Expedido Mendonça.

Elogios vão para as coligações

Depois de fazer o registro do pedido de candidatura à reeleição no Tribunal Regional Eleitoral ontem a tarde, o governador Agnelo Queiroz afirmou que a coligação foi feita com os partidos que integram a base do governo. “Continuamos com essa coligação que ajudou a resgatar a cidade da crise que se instaurou em 2010”, disse. O orçamento máximo da campanha será de R$ 50 milhões.

Agnelo prometeu se dividir entre a agenda oficial e a campanha e disse que querer olhar para frente, ao ser questionado sobre as outras candidaturas.

O último

A última chapa a fazer o registro foi a de tucano Luiz Pitiman, que minimizou a presença a contragosto de Eliana Pedrosa na coligação, como candidata a deputada federal, já que ela foi anunciada vice de Arruda. “Naquele momento da negociação ela teve interesse de integrar a outra chapa. Mas o limite partidário foi a vontade do PPS nacional. Ela, como boa militante que é, entendeu e será uma companheira valorosa”, opinou. Pitiman também disse que representa o novo em relação às outras chapas, que possuem ex-governadores em suas composições.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: