Mensalão do DEM: Manobra fracassa e candidaturas afundam


Mensalão do DEM: Manobra fracassa e candidaturas afundam
Um chute pela linha de fundo, bola fora, tempo perdido.

É assim que se pode definir a tentativa dos advogados do ex-governador José Roberto Arruda e do seu vice Paulo Octávio, que viram fracassar uma manobra para afastar os promotores encarregados de investigar o Mensalão do DEM…

O recurso apresentado pelos advogados dos acusados foi negado pelo juiz da 7ª Vara Criminal de Brasília. Cabe recurso da decisão. O Ministério Público pede que os denunciados devolvam mais de 700 milhões aos cofres públicos. Foto: Reprodução.

Os advogados alegaram que, durante um depoimento prestado em dezembro de 2009, Durval Barbosa – delator do escândalo de pagamento de propina – acusou promotores do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC) de terem recebido propina. A denúncia sobre esses supostos pagamentos teria sido revelada a Durval Barbosa pela promotora Débora Guerner. Ela está afastada do cargo, mas continua recebendo salários.

Na decisão, o juiz da 7ª Vara Criminal afirmou que o pedido dos advogados deveria indicar claramente o nome do promotor ou promotores suspeitos na avaliação da defesa. Segundo o Tribunal de Justiça do DF (TJDF), o magistrado concedeu prazo, mas os advogados não indicaram nenhum nome. “Sem imputações precisas, não há resposta possível”, informou o juiz na decisão.

Em abril, o MP denunciou 19 envolvidos no mensalão do DEM. Nas denúncias, desmembradas em 17 ações, o MP pediu o ressarcimento de R$ 739,5 milhões aos cofres públicos.

Em junho de 2013, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decidiu desmembrar e enviar para o Tribunal de Justiça do DF o processo contra o ex-governador José Roberto Arruda e outras 35 pessoas. A ação do Ministério Público é o primeiro passo para dar sequência ao processo. Informações Notibras.

Fonte: Portal Guardian Notícias / Redação – 26/05/2014

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: