MÁRCIO MARINHO CANDIDATO A PREFEITO PRB, SALVADOR BAHIA

PREFEITOS

SALVADOR
Nome de campanha: MÁRCIO MARINHO
Legenda: 10
Nome da Coligação: “Salvador Encontra o Seu Caminho”
Partidos da Coligação: PRB-PSL
Vice-prefeito: Ivon Berto (PRB)
1 – Por que o senhor é candidato?
Márcio Marinho –Porque ser prefeito de uma cidade não se trata apenas de cuidar de ruas e avenidas, de limpar praças ou de construir uma escola. Trata-se, sobretudo, de cuidar das pessoas. E isso eu já faço há 25 anos. Cuidar do motorista de ônibus que acorda às 3h da manhã para levar as pessoas ao trabalho, do médico que salva vidas apesar das condições precárias dos postos de saúde, do feirante que, mesmo de madrugada, tem um sorriso no rosto e aquela expressão de raça, de gana, de homem trabalhador. Sou candidato a prefeito porque entendo a situação da maioria dos moradores desta cidade; sou negro, vim de família pobre e cresci apesar das dificuldades.
2 – Quais são os principais problemas em sua cidade?
Márcio Marinho –Os problemas são muitos, mas sem dúvida os mais graves são aqueles relacionados à segurança, à saúde e à mobilidade urbana. É claro que a segurança é responsabilidade constitucional do governo do estado, mas a prefeitura também pode colaborar para diminuir a violência. Temos em nossos quadros a competentíssima guarda municipal. Mas é importante que a guarda faça um trabalho integrado com a Polícia Militar da Bahia.
Na minha gestão irei dobrar o tamanho da guarda municipal. Falo isto com muita propriedade porque, no meu trabalho como deputado federal, a segurança pública sempre foi uma das prioridades. Recentemente, inclusive, recebi o Diploma de Colaborador Emérito do Exército devido aos serviços prestados às Forças Armadas.
A prefeitura também precisa estar mais atenta à iluminação pública, e não apenas nas grandes avenidas. É preciso estar atento àquelas pequenas ruas nos bairros populares que, embora não sejam vias de grande importância para o fluxo de veículos, são importantes para aquele morador que sai de casa de madrugada ou que volta para casa após as 22h. Estas ruas precisam estar bem iluminadas, com uma quantidade suficiente de postes e manutenção constante. Isto inibe a ação dos ladrões.
É preciso agilidade na hora de realizar coisas simples, como a troca de uma lâmpada queimada, por exemplo. Para nos ajudar neste aspecto, temos a ouvidoria do município, que recebe as queixas da população. Por falar na ouvidoria, precisamos resgatar sua credibilidade, atendendo com mais rapidez aos pedidos que não demandem grandes mobilizações de máquinas, pessoal ou equipamentos.
Existe ainda outra forma consagrada de diminuir a violência: a escola. E não estou falando apenas do ensino de qualidade, mas também de aproveitar melhor estes espaços nos fins de semana para tirar a garotada da ociosidade. É colocar a meninada para praticar esportes nas escolas, nos finais de semana. Além do benefício direto, de ocupar os jovens e tirá-lo das ruas, o esporte também dá disciplina. Por sinal é importante destacar que o deputado Popó estará conosco incentivando o fortalecimento do esporte no município.
Temos ainda a mobilidade urbana. O novo prefeito precisa investir mais no alargamento de ruas e avenidas, construção de viadutos e passarelas, e em sinaleiras inteligentes. Mas o principal é se unir aos governos estadual e federal para viabilizar transporte de massa eficiente para a população, especialmente para os moradores de bairros populares. É preciso também aproveitar melhor a estrutura da Transalvador. O objetivo do órgão é organizar o trânsito e educar os motoristas, mas infelizmente isto não está acontecendo. A Transalvador só serve agora para multar. É um aparato importantíssimo que está sendo utilizado da maneira errada.
Por fim, mas não menos importante, temos o descaso com a saúde. A cidade tem muitos postos de saúde, mas que não são operacionais. Algumas vezes faltam até mesmo materiais básicos como aparelhos para aferir a pressão, esparadrapos ou macas. Pior ainda são aqueles locais em que há equipamento, mas não há pessoal capacitado. E estes problemas podem ser resolvidos com um melhor gerenciamento. Quem usa posto de saúde são as pessoas que mais precisam, pessoas de baixa renda que não podem pagar um plano de saúde. É inaceitável que elas não sejam bem atendidas.
4 – Quando eleito, qual será sua prioridade ou sua primeira ação?
Márcio Marinho –Para fazer as obras e os investimentos necessários, antes de mais nada é preciso dinheiro. E não estou falando de dinheiro do governo do estado. A prefeitura é perfeitamente autossustentável. Então, precisamos fazer um processo de higienização das finanças da prefeitura, negociando com os credores e cobrando de quem nos deve. O município de Salvador tem hoje R$ 8 bilhões para receber, então é preciso que haja uma pessoa enérgica para cobrar esse dinheiro. Quem deve estes bilhões são pessoas que têm plenas condições de pagar.
5 – Qual o papel da militância em sua campanha?
Márcio Marinho –A militância terá papel fundamental, será a locomotiva da nossa campanha. Cada militante será um multiplicador, responsável por informar, em seu bairro ou no local em que trabalha, as nossas propostas para a cidade. Teremos um exército do bem aqui na cidade, que vai resgatar a autoestima do soteropolitano, trabalhando juntos para que Salvador encontre seu caminho.
6 – O que o senhor não irá tolerar em sua campanha?
Márcio Marinho –Evidentemente que a campanha deve ser o reflexo da postura do candidato. A legislação eleitoral é bastante clara sobre o que é permitido e o que é vedado aos postulantes a prefeito; desta forma, cobrarei das pessoas que trabalham comigo que sejam claras na comunicação, mas sem ultrapassar os limites legais. E exigirei o mesmo dos demais candidatos e dos veículos de comunicação.

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: