Maluf diz que será candidato e conta a Alckmin fórmula para ‘viver 200 anos’

Um dia depois da condenação que pode impedi-lo de participar das eleições de 2014, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) afirmou na tarde desta terça-feira (5) que será candidato e chegou a confidenciar ao governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), na Câmara dos Deputados, sua fórmula para a longevidade.

Antes de Alckmin participar de uma audiência pública sobre reforma tributária, Maluf se postou ao seu lado e, em meio a uma animada conversa, mostrou demoradamente ao governador uma caixinha dourada que carrega no bolso.

“Eu mostrei para ele o elixir da longa vida. Porque ele é médico. Dentro de um avião, você não pode fazer nada para impedir um desastre. Mas você tem uma coisa que é imprescindível, que é o coração. Se essa bomba continuar funcionando, teoricamente você pode viver 200 anos”, disse Maluf, que tem 82, explicando o que havia mostrado ao governador.
Pedro Ladeira/Folhapress

O deputado Paulo Maluf (PP-SP), durante audiência pública na Comissão Especial do ICMS e Comércio Eletrônico da Câmara

“Então mostrei para ele, que é médico, como eu previno o coração”, disse o deputado, abrindo a caixinha e explicando pílula a pílula: “De manhã cedo, Plavix [inibidor da formação de plaquetas], para afinar o sangue, aqui óleo de peixe, para abaixar o mau colesterol. À noite, Lipitor, também para abaixar o colesterol. Aqui você tem aspirina, que é antiplaquetária.”

A caixinha dourada do deputado guardava cerca de 20 pílulas. Segue Maluf: “Aqui tem vitamina C, que é ‘time-release’ [solta gradativamente a substância no organismo ao longo de um período de tempo], e demora oito horas, e aqui é a popular pílula de alho, que eu tomo há 40 anos”.

Segundo Maluf, o alho é o responsável pela longevidade no mundo árabe. “Eu tô com 82, e a minha memória é muito boa, porque na minha memória eu só guardo as coisas boas, as coisas ruins eu deleto, então guardo só metade. Usa essa receita que eu te dei, e que não te cobrei, que você vai chegar aos 100 anos.”

Alckmin se limitou a dar risadas ao ser questionado sobre a fórmula-Maluf. “Diz ele que funciona.”

SUPERFATURAMENTO

Maluf foi condenado nessa segunda-feira (4) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar multa de R$ 42,3 milhões pelo superfaturamento na construção do túnel Ayrton Senna durante a sua gestão na Prefeitura de São Paulo (1993-1996)

A decisão, que suspende seus direitos políticos por cinco anos, pode deixá-lo inelegível, mas seus efeitos não são automáticos. Enquanto Maluf estiver recorrendo, não haverá decisão definitiva e ele poderá brigar nos tribunais para manter a sua candidatura.

A Lei da Ficha Limpa também impede que políticos condenados por um órgão colegiado, caso de Maluf, disputem as eleições, mas sua aplicação depende da interpretação de juízes.

Para a defesa do deputado, ele não poderá ser enquadrado nessa lei porque sua condenação não apontou enriquecimento ilícito nem dolo –quando há intenção de causar danos–, dois requisitos da lei. Mas essa também é uma questão que depende da interpretação dos juízes.

“Os advogados já disseram, você, para estar dentro da [lei da] Ficha Limpa, precisa ter dolo ou enriquecimento ilícito. Vocês cobrem mal […] Agora, eu sei que a Folha gosta de vender jornal, precisa da circulação, e o Maluf na capa vende, quem sabe, mil exemplares a mais na banca. Eu um dia vou pedir um compartilhamento nesse aumento de circulação”, ironizou o deputado.

Questionado se mantém sua candidatura, Maluf disse que seu partido quer que ele encabece a chapa de deputados federais em 2014 e citou a “Canção do Tamoio”, do poeta maranhense Antônio Gonçalves dias. “A vida é um combate que os fracos abate, e os fortes e os bravos só pode exaltar”.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: