Livres, Jales e Sidney continuam sendo investigados

Os dois ex-administradores de Águas Claras e Taguatinga, Carlos Sidney e Carlos Jales, presos na operação Átrio, que apura um esquema de recebimento de propina, nas respectivas administrações, para liberação de alvarás de construção, já se encontram livres. Segundo a polícia, os gestores foram soltos via Habeas Corpus.

Mesmo soltos, os ex-gestores continuam na mira da Polícia, e devem continuar sendo investigados.

As investigações trazem provas contundentes do envolvimento dos ex-administradores. Segundo relatório da polícia, Jales foi flagrado recebendo dinheiro de um empresário em um shopping de Águas Claras, quantia que foi dividida com o então administrador de Águas Claras, o advogado Carlos Sidney. As propinas recebidas aceleravam o processo de liberação de alvará para grandes empreendimentos.

Prisões preventivas
Deflagrada a operação Átrio, Carlos Sidney foi detido e levado ao Complexo Penitenciário da Papuda, cumprindo o restante da ordem em prisão domiciliar. Carlos Jales desapareceu, sendo dado como fugitivo pela polícia, sendo localizado dias após em um hospital particular em Taguatinga. Já sob escolta policial, após alta médica, Jales foi levado ao DPE para cumprir prisão preventiva.

O diretor-geral da Polícia Civil do DF, Jorge Xavier, informou que a prisão dos ex-gestores foi necessária para que não ocorressem interferências nas investigações.

O inquérito sobre a operação é conduzido pela Delegacia de Repreensão ao Crime Organizado, e deve ser concluído até o final do mês que vem.http://www.gazetadetaguatinga.com.br/index.php/component/k2/item/1258-livres-jales-e-sidney-continuam-sendo-investigados

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: