Lionel Messi não coloca Argentina entre favoritos para título da Copa do Mundo


Lionel Messi não coloca Argentina entre favoritos para título da Copa do Mundo
Craque diz que favoritos ao título são Alemanha, Brasil, Espanha e França

Agência Estado

Lionel Messi não se ilude com chances de título para a Argentina na Copa do Mundo deste ano

A menos de três meses para o início da Copa do Mundo, Lionel Messi já vive a expectativa de vir ao Brasil para disputar a competição. Principal jogador do futebol mundial nos últimos anos, ao lado de Cristiano Ronaldo, o argentino, no entanto, não parece muito confiante na possibilidade de sua seleção ser campeã.

Perguntado sobre quais seriam as quatro seleções favoritas para levantar o troféu, Messi deixou de lado o time argentino. “Como sempre digo, os favoritos são as seleções grandes. Alemanha, Brasil, Espanha e França, creio que são as seleções que podem dar o que falar no Mundial”, declarou, em entrevista à rede de tevê TyC Sports.

Mesmo sem colocar a Argentina entre as principais postulantes ao título, Messi sabe que o país tem condições de conquistar o Mundial, já que conta com nomes como Agüero, Higuaín, Di María, Mascherano, entre outros. Segundo o astro do Barcelona, no entanto, o talento não é o suficiente para a conquista de uma Copa e a equipe que levantar o troféu no Brasil precisará contar também com a sorte.

“Em um Mundial pode acontecer de tudo, você pode fazer uma grande partida e acabar perdendo. Em momentos pontuais, tem que ter sorte de campeão. Todos os times que foram campeões em algum momento tiveram sorte. No último Mundial, a Espanha ganhou do Paraguai (nas oitavas de final) com um pênalti que o Casillas pegou. Depois (na final, contra a Holanda), ele pegou uma bola cara a cara com o Robben. Foi a melhor seleção do Mundial, mas teve essa sorte de campeão que é preciso ter”, disse.

Se a sorte acompanhar a Argentina, Messi sabe o impacto que teria um título da seleção justamente na terra de seu maior rival. Perguntado sobre a possibilidade de um novo “Maracanaço”, como em 1950, quando o Brasil perdeu a final da Copa para o Uruguai, o craque ponderou. “É preciso ter tranquilidade, pensar primeiro no grupo e ir lentamente. Todos sonhamos com essa final com levantar a Copa, mas é preciso ir aos poucos.”

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: