Investigação de fraude em merenda cita deputados e ex-assessor do governo de SP

Investigação de fraude em merenda cita deputados e ex-assessor do governo de SP

Por: Vera Magalhães

merenda-300x225

Dinheiro apreendido em sede da cooperativa investigada

A investigação de um esquema de fraude na compra de merenda escolar por prefeituras de pelo menos 22 cidades de São Paulo envolve acusações contra quatro deputados e o ex-chefe de gabinetes da Casa Civil do governo de São Paulo.

A operação da Polícia Civil, batizada de Alba Branca, foi deflagrada na terça-feira e resultou na prisão de seis pessoas, acusadas de fraudes (sobrepreço ou dispensa de licitação) em contratos para o fornecimento de merenda em troca de pagamento de propina para agentes públicos.

Interceptações telefônicas dos integrantes da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), de Bebedouro, que comandava o esquema, e depoimentos dos presos citam o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez (PSDB), os deputados federais Baleia Rossi (PMDB) e Nelson Marquezelli (PTB) e o deputado estadual Luiz Carlos Gondim (SD).

Também é citado o ex-chefe de gabinete da Casa Civil paulista Luiz Roberto dos Santos, o “Moita”, demitido na segunda-feira, que aparece diretamente nos grampos telefônicos conversando com membros da quadrilha e pedindo dinheiro e eletrodomésticos aos investigados.

 

A Casa Civil informou que foi aberto inquérito administrativo para apurar a conduta do ex-assessor.

Há várias citações nos grampos ao presidente do PMDB paulista, deputado federal Baleia Rossi. Os grampeados mencionam, inclusive, entrega de dinheiro em seu escritório político, em Ribeirão Preto. Baleia foi procurador pela coluna, mas não foi localizado.

O nome do presidente da Assembleia, Fernando Capez, não aparece nos grampos, mas foi citado nos depoimentos dos presos. Nas interceptações, os investigados conversam com um assessor (Luiz Carlos Gutierrez, o Licá) e um ex-assessor (Jeter Rodrigues Pereira) do tucano.

Nas conversas, eles mencionam o “nosso amigo”, que atuaria para facilitar o esquema. Nos depoimentos, os investigados dizem que o “nosso amigo” era Capez.

O presidente da Assembleia negou qualquer participação no esquema e disse que irá “até o fim” para provar que não tem nada com isso. “Quem se envolve com desvio de merenda escolar tem de ir para a cadeia e não sair nunca mais”, disse ele ao Radar na noite de quinta-feira.

Capez afirmou que demitiu Jeter por usar seu nome indevidamente para tentar negociar a nomeação de delegados. Ele atuava juntamente com o lobista Leonel Julio, ex-deputado, também investigado no esquema da merenda.

“Nunca ouvi falar disso. Levei 30 anos para construir meu nome e não vou deixar que nenhum vagabundo o destrua. Não tenho absolutamente nada a ver com isso e vou até o fim para provar isso”, afirmou o tucano.

Ele disse que ficou sabendo da menção a seu nome por membros da quadrilha investigada por meio da imprensa e que a partir desta sexta já adotará medidas cabíveis contra os que o citaram.

O esquema atuava em pelo menos 22 cidades, como Bebedouro, São Bernardo, Campinas, Araras, Barueri, Americana, Mogi das Cruzes, Bauru, Sumaré e Cotia. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nessas prefeituras para verificar a extensão da fraude.

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/sao-paulo/investigacao-de-fraude-em-merenda-cita-deputados-e-ex-assessor-do-governo-de-sp/

About Germano Guedes

Olá Pessoal,
Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”.
Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas.
Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade.
Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural.
Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire.
Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações.
No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade.
Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.

%d blogueiros gostam disto: