Ídolo do Internacional, Fernandão morre em acidente de helicóptero


Ídolo do Internacional, Fernandão morre em acidente de helicóptero

Além do eterno atleta colorado, estavam na aeronave outras quatro pessoas

Ídolo do Internacional, Fernando Lúcio da Costa, o popular Fernandão, morreu na madrugada deste sábado. O ex-atacante, de 36 anos, foi vítima de um acidente de helicóptero quando retornava de sua casa, na pacata cidade de Aruanã-GO, para a capital Goiânia (distante 315 quilômetros), por volta da 1h30 da manhã. Além do eterno atleta colorado, estavam na aeronave outras quatro pessoas: Edmílson de Sousa Leme (vereador do município de Palmeiras de Goiás), Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira (funcionário da fazenda) e o piloto Milton Ananias, coronel da Polícia Militar.

De acordo com dados da Polícia Civil, o helicóptero (modelo Esquilo, prefixo PT-YJJ), que partiu da fazenda de Fernandão, foi encontrado em um banco de areia, aproximadamente às 3 horas da manhã, às margens do Rio Araguaia. A área da tragédia dista 15 quilômetros do centro de Aruanã.

Natural de Goiânia, o atleta é cria do Goiás, mas viveu a maior fase de sua carreira no Sul. Defendendo o Internacional, conquistou duas vezes o Campeonato Gaúcho, uma Copa Libertadores da América, uma Recopa Sul-americana e um Mundial de Clubes, em 2006, onde levantou o troféu do maior torneio interclubes do futebol. Pelo espírito de liderança, ostentou a braçadeira de capitão durante boa parte dos seus cinco anos com o manto colorado.

Sua primeira exibição pelo clube vermelho e branco de Porto Alegre ocorreu logo em um Gre-Nal, no dia 10 de julho de 2004. E a estreia não podia ser melhor: marcou o gol que selou a vitória do Saci sobre o Tricolor. Por coincidência, o gol 1000 na história do clássico. O compromisso de número 360 foi válido pelo Campeonato Brasileiro.

Após defender o São Paulo na Copa Libertadores da América, Fernandão se aposentou ainda novo, em 2011, e rapidamente tornou-se diretor executivo do Inter. No clube gaúcho, ainda tornou-se treinador, mas não repetiu o sucesso conquistado nas quatro linhas.

Mestre de cerimônias da reabertura do Beira-Rio, o ex-atacante estava trabalhando noSporTV, como comentarista de futebol.

Fonte: Gazeta Esportiva

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: