História do grupo Anhanguera Educacional


Histórico

O início do grupo Anhanguera Educacional remonta a 1994, com a fundação das Faculdades Integradas Anhanguera, na cidade de Leme, no Estado de São Paulo, por um grupo de professores liderado por Antônio Carbonari Netto e José Luis Poli.

Até 2003, o grupo Anhanguera Educacional era formado por quatro instituições, que juntas somavam uma média de 8.848 alunos matriculados em suas sete unidades, localizadas em seis cidades no estado de São Paulo.

Ainda em 2003, foi constituída a Anhanguera Educacional S.A. (“AESA”) mediante a incorporação das quatro instituições que formavam o grupo Anhanguera Educacional à época. Nesse ano, o Instituto Superior de Comunicação Publicitária (“ISCP”), entidade mantenedora da Universidade Anhembi Morumbi, tornou-se acionista da AESA, mediante a subscrição de novas ações. Além dos recursos aportados no capital social da AESA, o ISCP também contribuiu com o conhecimento de seus controladores acerca do setor de educação brasileiro.

Com os recursos financeiros aportados pelo ISCP no capital social da AESA, foram abertos novos Câmpus em três cidades do interior do Estado de São Paulo. Ao final de 2005, a rede de ensino do grupo já contava com 10 Câmpus.

Em 2005, o ISCP permutou sua participação acionária na AESA por quotas do Fundo de Educação para o Brasil – Fundo de Investimento em Participações (“FEBR”), um fundo de investimentos criado e administrado pelo Pátria Investimentos e Participações Ltda. (“Pátria”), que captou e investiu novos recursos na AESA. Além dos recursos aportados, o FEBR também obteve uma linha de crédito de US$ 12 milhões junto ao International Finance Corporation. Esses recursos foram contribuídos ao capital social da AESA em troca de novas ações e utilizados para financiar suas estratégias de aquisição e expansão orgânica. Como resultado destas operações, o FEBR se tornou o acionista controlador da AESA.

Em 2006, foram adicionados três novos Câmpus à rede de ensino da Companhia, sendo dois deles por meio da aquisição de duas mantenedoras nos Estados de Goiás e São Paulo e o outro mediante crescimento orgânico no Estado de São Paulo.

Em 19 de dezembro de 2006, os acionistas da AESA, por meio de um veículo específico denominado Viana do Castelo Administração de Bens S.A. (“Viana do Castelo”), adquiriram 100% das ações de emissão da Anhanguera Educacional Participações S.A. (à época denominada Mehir Holdings S.A., “Companhia”), sociedade de capital aberto constituída em 2001 e registrada na Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) sob o nº 18.961. Em 29 de dezembro de 2006, o FEBR contribuiu ao capital social da Companhia por meio das ações detidas no capital social da AESA, com o consequente aumento do capital social da Companhia. Ato subsequente, o FEBR permutou parte de suas ações no capital social da Companhia pela totalidade das ações detidas pelos acionistas Antonio Carbonari Netto, José Luis Poli, Erik Carbonari, Alex Carbonari e Cláudia Maria Fontanesi Poli de emissão da AESA. Em seguida, o FEBR contribui suas recém adquiridas ações de emissão da AESA em novo aumento de capital da Companhia. Desta forma, a Companhia passou a deter a totalidade das ações de emissão da AESA.

Em março de 2007, foi concluída a oferta primária e secundária de ações da Companhia, com a emissão de 20 milhões de novas Units, ao preço de R$ 18,0 por Unit, cuja homologação e entrada dos recursos ocorreu em 14 de março de 2007. A operação resultou na captação bruta de R$ 360,0 milhões.

Ao longo de 2007, foram adicionados 13 novos Câmpus à rede de ensino da Companhia por meio da realização de aquisições, o que ampliou sua presença em três regiões do país – Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Além disso, a Companhia também cresceu organicamente adicionando 5 novos Câmpus à sua rede de ensino.

Em 2008, a Companhia continuou a sua expansão por meio da adição de 21 Câmpus à sua rede de ensino, sendo 6 novos Câmpus abertos organicamente e 15 Câmpus adquiridos de terceiros.
Em abril de 2008, foi concluída nova oferta primária de Units, resultando em captação de R$ 508,0 milhões.

Além das aquisições de Câmpus, a Companhia realizou em 2008 duas aquisições que possibilitaram ampliar seus canais de distribuição e os produtos oferecidos. Em 10 de julho de 2008, a Companhia adquiriu, por meio de sua subsidiária Anhanguera Educação Profissional Ltda., 30% das ações da Escola de Profissões S.A. (“Microlins”), passando a contar com os mais de 500 mil alunos de ensino profissionalizante da instituição investida. Em 6 de outubro de 2008, a Companhia adquiriu a totalidade das quotas do capital social da LFG Business e Participações Ltda. (“LFG”), sociedade detentora de toda rede LFG, incluindo as marcas LFG, Prima, Rede Pró e Premier. Na época, a LFG possuía 70 mil alunos matriculados em 62 cursos oferecidos em sua rede de 322 Polos de Ensino a Distância.

Em 2009, a Companhia continuou sua expansão por meio da adição de 4 novos Câmpus à sua rede de ensino e da fusão de 4 Câmpus em 2.

Em dezembro de 2009, o FEBR, José Luis Poli, Claudia Maria Fontesi Poli, Alex Carbonari, Erik Carbonari e Giulianna Carbonari Meneghello, acionistas da Companhia, realizaram uma oferta secundária de 33,35 milhões de Units de emissão da Companhia. Após a realização da oferta, o FEBR permaneceu como controlador e maior acionista da Companhia, passando a deter 63,02% do capital social votante e 24,16% do capital social total da Companhia.

Em 10 de junho de 2010, a Companhia realizou, por meio de sua subsidiária Anhanguera Educação Profissional Ltda., juntamente com seu sócio José Carlos Semenzato, a venda da totalidade de sua participação no capital social da Microlins para a Multi Brasil S.A., pelo valor de R$ 33,7 milhões.

Em Assembleia Geral Extraordinária da Companhia, realizada em 30 de setembro de 2010, a Companhia aprovou a incorporação de sua subsidiária integral LFG, o que não gerou qualquer alteração patrimonial na Companhia, tendo em vista que os resultados da LFG já estavam consolidados em seus resultados.

Em 29 de outubro de 2010, os acionistas da Companhia aprovaram (i) a conversão da totalidade das ações preferenciais de emissão da Companhia em ações ordinárias na razão de 1 ação preferencial para 1 ação ordinária e a conseqüente extinção das Units; e (ii) o grupamento de ações ordinárias na razão de 7 ações ordinárias para 1 nova ação ordinária, de forma a manter a continuidade das negociações das ações de emissão da Companhia na BM&FBOVESPA.

Em dezembro de 2010, foi concluída a 3ª oferta primária de emissão de 23.000.000 ações ordinárias da Companhia. A operação resultou na captação bruta de R$844,1 milhões.

Em 2010, por meio da realização de uma aquisição, a Companhia continuou sua expansão por meio da adição de 4 novos Câmpus à sua rede de ensino e da fusão desses 4 Câmpus em 2. Essa aquisição representou a entrada da Companhia no estado do Rio de Janeiro e fortaleceu sua presença na Região Sudeste. A Companhia encerrou o ano de 2010 com 56 Câmpus e mais de 500 Polos em sua rede de ensino.

Em 2011, a Companhia continuou sua expansão por meio da adição de 18 novos Câmpus à sua rede de ensino e da adição de um Câmpus pré-operacional em Brasília, além da descontinuidade de um de seus Câmpus na cidade de Ponta Porã, resultando em um total de 73 Câmpus até dezembro de 2011.

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO EM 9 DE FEVEREIRO DE 2012


Telex Free

Seja vocês também um divulgador da TELEX FREE, Faz seu cadastro e venha ganhar dinheiro.(61) 8265-6332

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: