Futebol fora de série em Brasília


A Quarta Divisão virou sonho no DF. Amadorismo e vandalismo impedem evolução

Marcus Eduardo Pereira

A festa foi de gala. As expectativas eram as melhores possíveis. Mas o que tinha tudo para ser o início de uma revolução no Campeonato Candango acabou se tornando uma piada nacional com o caso da derrota por W.O. do Formosa para o Brasília, no que seria partida de estreia do certame local, visto que não ocorreu porque a trupe goiana foi ao Serejão, mas estava sem chuteira.

Aliado a isso, a primeira rodada do torneio local ainda protagonizou outras bizarrices, como confusão e falta de segurança na partida entre Gama x Luziânia; e a queda precoce de um treinador.

No Bezerrão, parte da torcida organizada que protestava contra os jogadores do elenco conseguiu invadir o acesso ao vestiário do time, e uma pancadaria generalizada entre os mesmos, jogadores e dirigentes quase acabou em tragédia.

A situação ainda piorou, quando os mesmos vândalos tentaram invadir a casa onde se concentram os jogadores que formam o elenco, arremessando pedras nos atletas. “É uma surpresa esse comportamento. Em 29 anos de Gama, é a primeira vez que vejo algo assim.Todos estamos todos apavorados. Jogadores estavam querendo ir embora”, afirmou o presidente do clube, Antônio Alves do Nascimento, o Tonhão.

O técnico da equipe, Eduardo Àllax, não quis polemizar, mas confirmou a baderna. “Teve briga, todo mundo brigou. O Gama está há muito tempo sem conquistar um título, pois a estreia não foi como gostaríamos e as coisas fugiram do controle. Tivemos reunião hoje (ontem) o dia inteiro. Precisamos nos unir com a torcida para conquistar esse título porque assim o Gama não será campeão”.

Reunião

Na tarde de hoje, às 15h, ocorrerá uma reunião entre parte da “torcida”, elenco e dirigentes no CT do clube. “Vamos ver se firmamos um compromisso entre jogadores e torcedores, para eles terem paz para jogar. Não quero minha torcida fora, quero dentro do estádio, mas sem violência”, desabafou Tonhão.

Mudança de endereço

Com a situação lamentável da quase invasão à residência dos jogadores do Alviverde, o presidente Tonhão já decidiu realocar os atletas para outro local mais seguro. “Preciso tirá-los da casa, mas ainda não sei o que irei fazer. Com certeza, os colocarei em um lugar mais seguro”, confirmou, revelando que um local fora da cidade do Gama pode ser escolhido. “Eles estão expostos. Todos sabem qual é a rua. Talvez os coloque em um hotel ou mesmo fora do Gama”.

Com relação à invasão de vestiário, presidente afirmou que procurará a polícia para poder aumentar a segurança nos jogos. “De qualquer jeito temos que aumentar a segurança. Já pedi para os torcedores não aglomerarem na frente do portão. Quando acabar os jogos, se dispersarem, vencendo ou perdendo. Temos que nos ajudar”, disse Tonhão.

Rolezinho no gama

Visivelmente indignado com a situação, Tonhão disparou até mesmo contra as diversas manifestações que tem ocorrido no País. “Isso vem acontecendo por conta desses movimentos, rolezinhos, configurando algumas coisas parecidas”, comentou. (M.E.P.)

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: