Funcionário da Caesb morre durante reparo de adutora


Funcionário da Caesb morre durante reparo de adutora Ele não resistiu e faleceu no fim desta manhã; Outros três funcionário estão internados no HBDF

Ludmila Rocha, Thatyane Nardelli, Amanda Carvalho, Eric Zambon

 
 
Luciano Almeida da Silva, de 36 anos, funcionário tercerizado da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), faleceu no fim da manhã de desta quinta-feira (06). Ele foi levado pela correnteza da água por três metros e tentou ser reanimado por colegas de trabalho até a chegada do Corpo de Bombeiros, que prosseguiu o atendimento por mais de 20 minutos. Sem reação, o funcionário foi levado para o Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) de helicóptero. A informação foi confirmada pelo Major Luiz Nacimento.


Outro funcionário, também tercerizado, Flávio Henrique Lopes de Matos, foi lançado com a força da água, que chegou a expelir 200 litros de água a cada 15 segundos e caiu debaixo do viaduto,que estava alagado e ficou submerso por 12 minutos.

Quando o resgate estava se preparando para mergulhar e resgatá-lo, o corpo submergiu e ele foi encaminhado junto com o Luciano para o HBDF em estado grave. Flávio está conciente e em observação, mas seu estado ainda requer cuidados.

Os outros três funcionários que também estavam no local se feriram. Huberval Pereira da Silva, quebrou o fêmur da perna esquerda, Gildemar da Rocha e Ivair Ferreira da Silva tiveram só ferimentos leves.

Funcionários eram tercerizados e não tinham experiência

Segundo Jeferson Lima, presidente do Sindicato dos Trabalhores da Indústria da Purificação da Água e Serviços de Esgoto do DF (Sindágua), disse que todos eram funcionários da empresa Geo Brasil Ambiental e não tinham experiência, contatada pela Caesb em um processo de emergência e sem licitação. “Eles fizeram um contrato emergencial e solicitaram esse reparo, mas essas pessoas não estavam acostumadas com esse tipo de serviço”, afirmou Jeferson.

Um funcionário da Geo Brasil Ambiental que não quis se identificar, revelou que Luciano Almeida era coordenador da equipe que fazia os reparos. Outras pessoas da empresas estavam envolvidas no serviço, mas elas conseguiram correr a tempo. O funcionário da Geo Brasil revelou, ainda, que Luciano foi sugado pelo cano e foi encontrado sem suas vestimentas, ao contrário de Gildemar, que foi arremeçado.

No entanto, a esposa de Gildemar, um dos feridos, Lucineide Raimunda Rodrigues disse à reportagem do Jornal de Brasília que seu marido trabalha há 14 anos para a Caesb e que Luciano, funcionário que faleceu no local, era amigo próximo da família.

Segundo o presidente da Caesb, Otto Silvério Guimarães, apesar dos funcionários estarem no local, a água na adutora foi restabelecida. Nesse momento, houve um novo rompimento no cano. De acordo com Otto, esse é um procedimento corriqueiro realizado pela Companhia.

A Defesa Civil afirmou, em entrevista a uma emissora de TV, que não há risco de desabamento na estrutura e que a Caesb pode dar continuidade as obras de reparação. No entanto, segundo o presidente da Caesb, a prioridade no momento não é o restabelecimento, e sim a perícia da Polícia Civil.

Fornecimento de água

Até o momento, a Caesb não soube informar quando a água será restabelecida. Segundo a Companhia, falta água em Guará I E II, Lúcio Costa, Super Quadra Sul e Setor de Chácaras da região.

O trânsito está lento, especialmente para quem vem de Taguatinha, Vicente Pires, Park Way e Águas Claras e o congestionamento chegou a 7km.

Relembre o caso

Equipes da Caesb passaram a noite realizando o conserto. No entanto, até às 8h30 da manhã de hoje os reparos ainda não haviam sido concluídos. Moradores dessas regiões levaram cerca de 40 minutos para conseguir acessar a Estrada Parque Taguatinga.

O Diretor de Operações e Manutenção da Caesb, Acylino José dos Santos, estava no local e explicou que o problema foi ocasionado pelo desalinhamento de uma adutora. “Os canos são interligados e um deles sofreu um leve desalinhamento, que permitiu que a água saísse. Passamos a noite secando a adutora e agora estamos terminando de enche-la novamente”, disse ele.

Guará I e II, Lucio Costa e Super Quadra Brasília, tiveram o abastecimento de água interrompido durante a madrugada. Porém, como é indicado que casas e prédios tenham reservatórios, a interrupção quase não foi percebida.

Duas das três faixas da EPTG foram fechadas com cones para que as máquinas pudessem acessar o cano. O Departamento de Rodagem do Distrito Federal acompanhou os trabalhos. A previsão é que as faixas sejam liberadas e o trânsito volte a normalidade ainda durante esta manhã.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: