Festa celebra amizade


Patrícia Fernandes

A década de 1990 foi marcante para os moradores da 113 Norte. Eles dividiram histórias, experiências e compartilharam emoções. Contudo, a vida dos amigos unidos pelo amor fraternal tomou rumos diferentes. Com o objetivo de voltar no tempo e reviver lembranças, eles se organizaram e promoveram um grande encontro em um churrasco animado. “Organizamos o evento no Facebook. Fizemos isso nos dois anos anteriores, mas neste ano tivemos uma estrutura maior. Antes contamos com a presença de somente 30 pessoas. Hoje teremos o público de 150”, relata o servidor público Rodrigo Freitas, 35 anos, um dos idealizadores do evento.

Ele relata que a sensação do reencontro com os amigos é inexplicável. “É um resgate de histórias. Hoje cada um tem uma vida diferente. É muito legal presenciar isso. Além de um encontro entre amigos, é um encontro de gerações”, afirma Rodrigo, que deixou de morar na 113 Norte em 1996.

Amizades

Segundo o analista de sistemas Gustavo Guimarães, 43 anos, organizar o evento deu trabalho, mas valeu a pena. “Escolhemos a data do feriado para que o pessoal que mora em outros estados pudesse vir. Rever todo mundo tantos anos depois é emocionante”, pontua.

O empresário Gustavo Soares, de 36 anos, que também auxiliou na organização do encontro de amigos, complementa que o resultado surpreendeu as expectativas. “Foram, aproximadamente, quatro meses de preparativos. São muitos detalhes que precisavam ser levados em consideração. Mas deu tudo certo”, destaca.

Para o também empresário João Tadeu, 42 anos, um dos últimos a deixar a quadra, no ano 2000, o evento é uma demonstração genuína do valor da amizade. “Aproveitamos essa ferramenta poderosa que é a internet para promover essa interação real. Hoje ninguém mais mora na quadra. Tem gente que vem de outros estados só para participar. São amizades que o tempo não apaga”, sustenta.


Muitos foram morar em outros Estados

Para o esperado reencontro com amigos que marcaram fases únicas da vida, todo esforço compensa. É assim que pensa o superintendente da Polícia Civil no Paraná, Cleber Ulisses. “Saí de Brasília há 15 anos e não encontrava esses amigos queridos durante todo esse tempo. Após tantos anos longe, é muito gratificante vê-los novamente. A sensação é de que paramos no tempo”, conta. O militar Lear Teixeira, de 35 anos, que veio de Maceió, compartilha da mesma opinião. “Vim para o encontro e está valendo muito a pena. É uma alegria indescritível”, sustenta.

De acordo com a administradora Ticiane Araújo, 40 anos, que mora no Pará, o tempo não diminuiu a intimidade entre os amigos. “É como se fosse a mesma coisa. As brincadeiras são as mesmas, as personalidades também. É uma volta ao passado”, disse.

A 113 Norte foi palco não só de amizades, mas também de uma história de amor. A contadora Iraercia Nascimento, 34 anos, e o militar Renê Camelo, 36, iniciaram o romance há 18 anos. “Nunca mais nos separamos. Hoje temos três filhos. Nosso amor é fruto de tudo o que vivemos na 113 Norte”, declarou Renê.

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: