Felipão assume culpa pelo vexame do Brasil



O Dia

Minas Gerais – Um vexame e um responsável. Felipão não se escondeu das críticas e assumiu a culpa pela eliminação do Brasil na Copa do Mundo. O adeus dado ao sonho do hexa foi de maneira traumática: uma goleada por 7 a 1 para a Alemanha e o comandante evitou qualquer tipo de pressão sobre os jogadores brasileiros.

“O responsável sou eu. O resultado catastrófico pode ser dividido por todo o grupo porque os meus jogadores querem isso, mas as escolhas foram minhas. Então, o resultado e quem foi o responsável fui eu”, disse.

Questionado sobre uma suposta “dívida” com a torcida, que confiava em Felipão para repetir o sucesso do título de 2002, o técnico descartou o fato. Segundo ele, a derrota aconteceu, mas nada que jogue no lixo todo o trabalho feito desde que voltou ao comando do time.

“Pagar minha dívida? Eu não tenho dívida, não. Eu fiz o meu trabalho como sempre faço em qualquer lugar. Fiz o que eu achava que era o mais correto e melhor. Na forma como trabalhamos, tivemos uma derrota. Mas esta foi a terceira derrota desde que voltei. Essa pode ser a pior derrota, mas fomos correr atrás para pelo menos honrar a camisa, mostrar que foi um desastre. Não é questão de dívida nem de crédito. Todos nós perdemos, mas a escolha foi minha”, comentou.

Felipão, por sua vez, não deixou de lado a boa atuação da Alemanha e fez questão de exaltar os rivais após o jogo desta terça-feira: “A equipe da Alemanha foi maravilhosa, foi fantástica”.

Seleção brasileira viveu o seu maior vexame na história dos Mundiais

Foto: Reuters

Como se sente?

Era um risco que eu sabia que eu corria quando assumi a Seleção. Admito que foi o pior dia da minha vida, mas é um risco que a gente corre e aconteceu.

Clima no vestiário

O clima é horrível, mas não termos o que fazer agora. Neste primeiro momento não podemos fazer nada. Temos que ter a mudança do comportamento, do ambiente, quando voltarmos e formos jogar o último jogo. Temos que ir trabalhando aos poucos esse ambiente que está horrível entre nós.

Lições da derrota

Acho que as lições que temos que tirar é sentar com o nosso grupo, olhar de novo, analisar novamente tudo o queaconteceu.

O que fazer no intervalo?

Quando nós tomamos os três gols imediatos já vi que estava perdido. 5 a 0 no primeiro tempo é muito difícil de virar. Tínhamos que, pelo menos, tentar jogar tentando causar uma dificuldade para a Alemanha. Tanto é que, no segundo tempo, entramos quase dentro do gol.

O apagão

Posso dizer que deu uma pane depois do primeiro gol e aquilo, com a qualidade dessa equipe que vem sendo trabalhada há bastante tempo, foi aproveitada de uma maneira que não tínhamos como reagir. Peço desculpas pelo resultado negativo, por não ter conseguido chegar a uma final, e vamos continuar trabalhando e honrando o que fazemos para buscar o terceiro lugar.

Torcida

Agradecer a torcida por tudo o que fez pela nossa Seleção.

A Seleção precisa se reinventar?

Não concordo com a sua pergunta porque se o México teve boa qualidade, nós empatamos. Se a Colômbia, que é uma das equipes comentadas como revelação, a gente ganhou… O que aconteceu hoje é muito diferente do que tudo que jogamos. Até o primeiro gol era praticamente idêntico ou até com a gente bem melhor. Se reinventar por quê? Por que perdeu um jogo hoje? Provavelmente 12 ou 13 jogadores que estiveram hoje vão estar na Copa de 2018.

A sequência de gols

Houve um descontrole. Naturalmente que isso não é normal, mas acontece. Depois de 5 a 0 você vai arriscar, naturalmente, e acaba deixando muito espaço. Tivemos lá algumas chances, criamos alguma coisa lá… Mas não estamos atrasados.

O que fazer durante a chuva de gols?

Vou explicar uma coisa. Ninguém vai trocar nada naquele pouco tempo. Foi um gol atrás do outro. Foi um branco que deu total. Tentávamos falar com o pessoal para organizar um pouquinho, mas deu tudo errado naquele momento.

Sem arrependimento

Não me arrependo da forma como entrei. Isso não é assunto para conversar agora. Tenho que trabalhar para sábado ter um bom resultado e vou trabalhar com meus jogadores.

Pressão na Copa

Eles sabiam desde o início que, jogando em casa, a obrigação era chegar até a final e ser campeão. Eles fizeram tudo o que tiveram ao alcance e não tem arrependimento nem o que cobrar deles. Deu errado em dez minutos de jogo, pronto. Não adianta ficar buscando alguma situação que não é a realidade.

Neymar faria a diferença?

Não sei. Se eles fizeram aquilo ali, provavelmente poderiam fazer com o Neymar ali também. Ele não teria como defender aquelas jogadas trabalhadas ali para fazer o terceiro, quarto ou quinto gol. Não tem porque a gente imaginar que seria diferente com o Neymar. Ele é atacante e teria uma função diferente de qualquer outro ali.

http://www.estacaodanoticia.com/main/2014/07/felipao-assume-culpa-pelo-vexame-do-brasil/

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: