Família iraniana vem ao Brasil pela primeira vez


Takoosh e André Hosevpian carregam um sobrenome forte: Haik Hovsepian tornou-se mártir em 1984 por pregar o evangelho de Cristo no Irã. Hoje, quem dá continuidade ao ministério são mãe e filho. Quer conhecê-los? Nas próximas semanas, eles passarão por algumas cidades do Brasil



O coração de uma criança que aprendeu a confiar em Deus pode produzir desejos sinceros e duradouros de entrega e dedicação ao Senhor. Foi assim com a iraniana Takoosh Hovsepian. Desde pequena, ela decidiu que investiria a sua vida no serviço a Deus.

Quando ainda era adolescente, orou pedindo que um dia se casasse com um pastor. Sua oração foi atendida quando ela se casou com o reverendo Haik Hovsepian, superintendente nacional das Assembleias de Deus e presidente da Aliança Evangélica de Igrejas do Irã.

Mas, ela não esperava enfrentar tantos obstáculos nessa jornada que testaria sua fé. Seu marido tinha 49 anos quando, em uma manhã, deixou sua casa e nunca mais voltou. Doze dias após seu desaparecimento, tornou-se evidente que ele tinha sido morto por ordem do governo iraniano. Seu corpo foi encontrado e, em consequência de sua morte, a família teve que fugir para os EUA.

Takoosh lutou contra tudo o que isso gerou em seu coração. Aprendeu o verdadeiro significado do perdão e superou as dores. Hoje, ela passa seus dias incentivando famílias de cristãos perseguidos, principalmente as viúvas, além de compartilhar o seu testemunho em igrejas no Ocidente para gerar conscientização e mobilizar apoio em oração para a Igreja Perseguida.

Depois do martírio de Haik, Takoosh se tornou luz para milhões de cristãos e não cristãos iranianos, que ouviram falar sobre a morte brutal de seu esposo e viram seu exemplo.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: