EXCLUSIVO: Gravações mostram primeira-dama do DF pedindo favor a envolvido em concessão de alvarás

No áudio da Polícia Civil, Ilza Queiroz pede ao ex-administrador de Taguatinga Carlos Jales que agilize a licença de funcionamento de uma clínica oftalmológica. Advogado afirma que não há irregularidade no comportamento dela.

A primeira-dama do Distrito Federal, Ilza Queiroz, foi flagrada em gravações da Operção Átrio da Polícia Civil, que investigou um esquema fraudulento de concessão de alváras na capital. Na conversa, ela pede ao ex-administrador de Taguatinga Carlos Jales a concessão da licença de funcionamento de uma clínica de oftalmologia. De acordo com documentos obtidos pela CBN, apenas três dias após o pedido, o Instituto de Catarata de Brasília recebeu toda a documentação para funcionar. A rapidez no processo chamou a atenção da Polícia Civil, que abriu inquérito para apurar o caso. O nome de Ilza Queiroz, mulher do governador Agnelo, não é citado na investigação. As gravações, no entanto, não deixam dúvidas de que ela atuou para que o ex-administrador agilizasse o alavará.

(ILZA) “Alô.”

(JALES) “Oi, doutora Ilza, boa noite.”

(ILZA) “Meu filho, quero te pedir um favor. Vai abrir lá outra clínica de oftalmologia, e eles deram entrada aí na administração por um alvará.”

(JALES) “A licença de funcionamento.”

(ILZA) “E eu queria ver se você podia agilizar.”

(JALES) “Dona Ilza, pode dormir sabendo que amanhã a licença tá na mão deles.”

Em outra gravação feita no mesmo dia em que o alvará foi liberado, a primeira-dama voltou a ligar para o ex-administrado para agradecer o favor.

(ILZA) “Oi, Jales, tudo bom?”

(JALES) “Oi, doutora Ilza. Tudo bem?”

(ILZA) “Obrigada por estar agilizando lá o negócio. Os meninos me falaram que está faltando uma assinatura, não sei de quem.”

(JALES) “Falta a vistoria do bombeiro. Tô fazendo um termo pra ele assinar e tô dando 90 dias para ele me trazer essa vistoria, e já tô dando a licença pra ele.”

(ILZA) “Ah tá certo. Obrigada, viu, Jales.”

O advogado do governador Agnelo Queiroz, Luis Carlos Alcoforado, afirma que não há irregularidade no comportamento dela.

A demora na emissão de alvarás para construção ou funcionamento de empresas em Brasília é alvo constante de reclamação dos empresários. Um processo chega a levar mais de três anos, de acordo com representantes do setor. A Operação Átrio, da Polícia Civil e do Ministério Público do DF, investiga um suposto esquema irregular para a liberação de alvarás envolvendo empresários de Brasília, administradores regionais e agentes públicos. Em troca da aprovação dos documentos, os administradores regionais recebiam dinheiro e favores dos empresários interessados. O ex-governador do DF Paulo Octavio chegou a ser preso, acusado de envolvimento com o grupo.

Fonte:http://crisoliveiralves.wordpress.com/
Fonte: CBN http://cbn.globoradio.globo.com

http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/politica/2014/06/11/GRAVACOES-MOSTRAM-PRIMEIRA-DAMA-DO-DF-PEDINDO-FAVOR-A-ENVOLVIDO-EM-CONCESSAO-DE-ALVARA.htm

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: