Escrava cubana foge do “Mais Médicos”. A militância petista ainda não se preocupou em defendê-la.


Escrava cubana foge do “Mais Médicos”. A militância petista ainda não se preocupou em defendê-la.
A militância petista recebeu os médicos cubanos com flores. Até agora ninguém se manifestou a favor da primeira médica a pedir asilo político para fugir da ditadura castrista.
por Flávio Morgenstern


A melhor coisa que o PT fez em toda a sua história foi criar um programa ad hoc para trazer médicos cubanos para o país. Poucos meses depois, hoje nem os militantes mais ferrenhamente petistas (ou abertamente defensores de totalitarismos, e que tentam transformar o Brasil em um) acreditam mais na propalada qualidade da “medicina cubana”, capaz até de curar câncer (o discurso pode até continuar, mas hoje qualquer um sabe que ela não passa de curandeirismo).

Quando os médicos cubanos chegaram ao país, sites petistas (e pouco disfarçadores de que são defensores de totalitarismos, e querem transformar o Brasil em um) estamparam notícias como “Médicos cubanos recebem flores um dia após agressões”.

Para eles, era uma questão humanitária, pois os médicos vinham para nos salvar. O discurso já trazia em seu bojo um faux pas: tratavam os médicos como coitados, inferiores mesmo aos médicos brasileiros e de outros países, quase uma cota que precisava ser aceita à força (como tudo para o PT, ou para totalitarismos). Não eram os sabe-tudo que conseguiam desbancar qualquer outro médico com sua sabedoria socialista.

Hoje, a médica cubana Ramona Matos Rodríguez, de 51 anos, fugiu dos grilhões cubanos que a mantinham presa ao programa ditatorial castrista-petista, em regime de trabalho escravo. Nenhum site petista, progressista, esquerdista ou simpatizante até agora se preocupou minimamente com a situação de Ramona, a enalteceu, defendeu a sua liberdade – ou deu flores a ela.

Para petistas, progressistas, esquerdistas ou simpatizantes não existem pessoas. Existem coisas, que podem servir para fazer propaganda eleitoral ou não. Quando são úteis, têm todo o carinho (como Paulo Henrique Amorim dizendo que essas pessoas são “mistura de Einsteins com Machados de Assis”). Quando não são úteis, são perseguidos por uma das ditaduras mais brutais e longevas do planeta.

O PT e seus acólitos, ao invés de instaurar uma ditadura cubana, trata de se manter no poder tratando pessoas como votos e propaganda, ou então suas vidas não valem nada.

O salário dos médicos era uma mixaria – mas bem atraente para os médicos cubanos se submeterem ao programa, visto que vivem num país miserável e com salário de US$ 25 por mês (sic), equivalente a duas horas de trabalho em Miami. O socialismo, o mundo sabe, significa escravidão e fome. Só não avisaram ao Brasil.

Reinaldo Azevedo faz as contas:

No caso de Ramona, ela disse receber o correspondente a apenas US$ 400 (mais ou menos R$ 968). Outros US$ 600 (R$ 1.452) seriam depositados em Cuba e só poderiam ser sacados no seu retorno ao país. O restante — R$ 7.580 — engordam o caixa dos tiranos (e pode não ser só isso…). Devem atuar hoje no Brasil 4 mil cubanos. Mantida essa proporção, a ilha lucra por mês, depois de pagar os médicos, R$ 30,320 milhões — ou R$ 363,840 milhões por ano. Como o governo Dilma pretende ter 6 mil cubanos no país, essa conta salta para R$ 545,760 milhões por ano — ou US$ 225,520 milhões. Convenham: não é qualquer país que amealha tudo isso traficando gente. É preciso ser comuna!

Ramona, sentindo-se traída pelo regime de Raúl e Fidel (o que não deve ser novidade), descobriu só no Brasil que os médicos de qualquer país recebem R$ 10 mil inteiros – nem que o custo de vida num país onde se trabalha até maio apenas para financiar o Estado seria tão alto.

No caso dela, que é escrava da maior ilha particular de propriedade familiar do mundo, tinha de se contentar em atuar no interior do Pará com um salário ridículo, que nenhum progressista aceitaria para si – e, além de só poder ver a outra metade do dinheiro se acatasse ser obediente e voltasse para a ilha do sr. Castro, como uma coleira para mantê-la calada, ainda financiava uma ditadura brutal e governos similares no Brasil. Conta o G1:

De acordo com Ramona, o governo cubano também havia informado que os médicos poderiam trazer familiares para o Brasil, o que, segundo ela, não ocorreu. “Tem gente tentando trazer os parentes e não conseguem.”

A médica relatou ainda que tinha permissão do governo cubano para visitar outras cidades do Brasil, mas destacou que precisava avisar do deslocamento a um “supervisor cubano”, que ficava em Belém.

Ramona, ao contrário de flores dos petistas, progressistas, esquerdistas e simpatizantes, está sendo perseguida pela Polícia Federal, que está sendo usada para perseguir uma inimiga do PT e de Raúl Castro (o que, no fim, dá na mesma). Ninguém manifestou preocupação com ela – apoio, homenagem, preocupação com sua liberdade e com o destino de sua filha também médica em Cuba, ditadura que matou quase 100 mil “inimigos do regime” desde que a revolução cubana de Fidel Castro e Che Guevara tomou o poder (com uma população incrivelmente menor do que a brasileira).

Conta o Estadão:

Ontem, segundo relato de Ramona, ela decidiu contatar a liderança do Democratas na Câmara depois de falar por telefone com uma amiga em Pacajá. Esta pessoa lhe teria dito que agentes da Polícia Federal estiveram na cidade em busca de Ramona e que o telefone da cubana estava grampeado.

[Ronaldo] Caiado entrou no plenário surpreendendo a todos com a história e deputados do PT chegaram a acionar o Ministério da Saúde para pedir mais informações. O próprio Ministério da Saúde foi pego de surpresa e enviou assessores ao Legislativo. Mas, até as 23h de ontem, a pasta não havia se manifestado.

Onde estão os defensores da ditadura cubana que estavam enchendo o saco de Yoani Sánchez no Brasil, dizendo que ela mente, que ninguém passa fome em Havana, que viva Fidel e Che, que Cuba cura câncer? Onde estão os esbirros do PT entregando flores para a médica?

Violando as leis internacionais, Ramona não pode pedir asilo (mal podia falar com brasileiros), tem deportação automática e não podem seguir como médicos no Brasil, não podendo fazer o Revalida (a medicina cubana entrou com regras especiais, já que seus médicos dificilmente conseguem ter noções básicas de enfermagem).

Ramona só não teve ainda o mesmo destino dos pugilistas cubanos, que tiveram suas cabeças entregues por Tarso Genro ao totalitarismo cubano irmão-do-PT, porque se refugiu no gabinete do DEM, onde a PF não pode atuar. Um dos pugilistas fugiu posteriormente para a Alemanha.

Cuba, o paraíso dos petistas (de Dima a Frei Betto, de Dirceu a Zé de Abreu) continua sendo a única ilha do mundo sem marinha pesqueira, onde as pessoas usam pneus e geladeiras como barcos para enfrentar uma das maiores quantidades de tubarões por metro quadrado no mundo para conseguir escapar para o capitalismo mais próximo.

Há ainda algo sórdido para o PT, como conta Reinaldo Azevedo:

Até esta terça-feira, todos achávamos que os médicos cubanos eram contratados pela Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), que é um órgão ligado à OMS (Organização Mundial de Saúde), da ONU. Sim, a Opas é uma das subordinadas ideológicas do regime dos Castro. Está lotada de comunistas, da portaria à diretoria. De todo modo, é obrigada a prestar contas a uma divisão das Nações Unidas. Ocorre que o contrato da médica que desertou é celebrado com uma tal “Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Cubanos”.

Que estrovenga é essa, de que nunca ninguém ouviu falar? Olhem aqui: como Cuba é uma tirania, a entrada e a saída de dinheiro são atos de arbítrio; dependem da vontade do mandatário. Quem controla a não ser o ditador, com a colaboração de sua corriola? Assim, é muito fácil entrar no país um dinheiro como investimento do BNDES — em porto, por exemplo —, e uma parcela voltar ao Brasil na forma, deixem-me ver, de doação eleitoral irregular. E o mesmo vale para o Mais Médicos. Nesse caso, a tal Opas podia atrapalhar um pouco, não é? Mas eis que entra em cena essa tal “Sociedade Mercantil Cubana”, seja lá o que isso signifique.

Os progressistas (que adoram uma ideologia de 1917 que matou cerca de 150 milhões de pessoas) detestam a “desigualdade” provocada pelo livre mercado, mas são doidos para que acabe o embargo econômico em Cuba, que proíbe que empresas americanas atuem na ilha-prisão, e sobrevivem com uma tal “Sociedade Mercantil Cubana”.

Enquanto a vida de Ramona Matos corre perigo nas garras do totalitarismo cubano-petista, vê-se o que vale uma vida humana para um petista, um progressista, um esquerdista ou um simpatizante. Não fosse o médico Ronaldo Caiado, do DEM, para proteger a vida de Ramona, a essa altura ela, sem flor nenhuma, já teria sido deportada ilegalmente para um dos países mais fechados do mundo.

O PT é o mal em si, o PT é o mal político em estado bruto, o PT é a desumanização final deste país. Nenhum outro partido (e todos têm pessoas simplesmente deploráveis) desceu tanto no nível de abjeção. Um simples caso como esse é mais do que motivo para uma campanha de impeachment, para as pessoas irem de fato às ruas para lembrar aos políticos que não devem reconhecer a legitimidade de autoridades em conluio ilegal, até em nível internacional e favorecendo trabalho escravo. A Lei Áurea foi revogada.

E a militância, em blogs, em jornais, na academia, na imprensa e na cultura só mostra que não liga para vidas humanas, e sim apenas para votos para seus cupinchas no poder – até com mais poder do que leis internacionais. Claro, se Ramona tivesse assassinado 4 pessoas na Itália, já teria uma festa para salvá-la e lhe garantir um apartamento no rico bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Neste mês, em atentado contra uma UPP na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, a policial Alda Castilho morreu após ser baleada na barriga. A jovem de 27 anos estava a trabalho. Negra, mulher, bonita, jovem – não teve uma lágrima derramada por nenhuma ONG, nenhuma feminista levou sua história a público para mostrá-la como uma heroína, nenhuma palavra foi dita pelo movimento negro.

Seu salário era de R$ 2.600, bruto – já inclusos os 26% de reajuste concedidos em fevereiro de 2013 e os R$ 100 de auxílio transporte. Nenhum movimento social ou militância socialista deu valor à sua vida, ou se importou com a justiça que deve ser feita.

Esta é a forma como o PT, os progressistas, os esquerdistas e simpatizantes tratam vidas humanas. Quando não são votos válidos para aumentar o poder dos políticos de sua preferência, não valem absolutamente nada.

Que a liberdade do cativeiro de Ramona Matos Rodriguez seja assegurada, que os médicos querendo asilo possam ter esse direito legal e que a jovem Alda Castilho descanse em paz.
http://www.implicante.org/blog/escrava-cubana-foge-do-mais-medicos-a-militancia-petista-ainda-nao-se-preocupou-em-defende-la/

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: