“ENFRENTAREI A CORRUPÇÃO QUE CHOCA O PAÍS INTEIRO”

O presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, afirmou que não trabalha com a possibilidade de não estar no segundo turno e que, se for eleito, vai tirar “um bocado de raposa que está em Brasília sugando nossos sonhos”; “São as mesmas raposas que cercaram Fernando Henrique e agora Dilma. Somos a única candidatura que vamos tirá-los do governo”, disse; o ex-governador de Pernambuco afirmou, também, que o seu governo enfrentará “a corrupção que choca o Brasil inteiro” e será “o primeiro presidente da República que não vai aumentar impostos no Brasil”

Pernambuco 247 – O presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, afirmou que não trabalha com a possibilidade de não estar no segundo turno da disputa de outubro e que, se for eleito, vai tirar “um bocado de raposa que está em Brasília sugando nossos sonhos”. “São as mesmas raposas que cercaram Fernando Henrique e agora Dilma. Somos a única candidatura que vamos tirá-los do governo”, disse o ex-governador de Pernambuco. Campos afirmou que seu governo enfrentará “a corrupção que choca o Brasil inteiro”.

De acordo com o peessebista, “o Brasil nunca melhorou em fase nenhuma de sua história, dividido”. “Estou propondo, junto com Marina, a unidade dos brasileiros em torno de uma pauta para melhorar o país”, afirmou. Campos voltou a cutucar a polarização PT-PSDB, que há 20 anos se revezam na presidência da República.

“Há um desejo, efetivamente, para que haja uma mudança para o futuro. E vamos estar no segundo turno, sim, vamos vencer as eleições”, declarou. “Quando governam (petistas e tucanos), chamam as mesmas forças atrasadas para formar uma maioria conservadora no entorno deles. Esse jogo está nos levando para trás. O Brasil ainda tem 20 anos de janela de País jovem, então a hora de tomar uma atitude é agora”, acrescentou.

O ex-chefe do Executivo pernambucano defendeu a reforma política, mas não em 2015. O presidenciável justificou sua posição, ao jornal A Tarde, em Salvador (BA), dizendo que “se você faz a reforma política para entrar em vigor no próximo ano, quem vai votar ela vai pensar “o que eu faço aqui para ajudar a me eleger”. “A maneira de se preparar o ambiente para a reforma política é acabar com a reeleição, fazer mandatos de cinco anos, coincidência de eleições”, disse.

Durante a entrevista, o governador atacou, novamente, a política econômica da gestão da presidente Dilma Rousseff (PT) e defendeu uma reforma tributária, que será realizada em 2015 no seu governo, caso ele seja eleito. Segundo Campos, ele será “o primeiro presidente da República que não vai aumentar impostos no Brasil”.

“Fui o governador que não aumentou imposto e vou ser o presidente que colocará a carga tributária de ladeira abaixo, para que a economia vá de ladeira acima, para que a gente possa ter um sistema tributário que não onere geração de empregos, que não mate a livre iniciativa, sobretudo o empreendedor de média e pequena empresa no Brasil”, declarou.

O pessebista afirmou, também, que manterá programas sociais como ProUni, Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida. “Agora, nós vamos corrigir, enfrentando a corrupção que choca o Brasil inteiro, enfrentar esse monte de ministérios que existe ai, a inflação que volta, o País paralisado, as obras que não saem. Vamos pegar nossa energia e direcionar para as coisas que estão funcionando”.

Prioridades

Questionado sobre quais serão as suas prioridades no governo, o presidenciável disse que a primeira delas é “colocar o Brasil de volta no caminho certo do crescimento econômico”. “O Brasil cresceu até 2010 e de lá pra cá, nesse atual governo o Brasil está tendo o menor crescimento da economia. Se a gente continuar crescendo fraquinho assim, com a inflação voltando e os juros lá em cima, a gente vai terminar derretendo os empregos que geramos nos últimos anos”, complementou.

O segundo desafio será investir na melhoria de qualidade do ensino. “Fiz um trabalho muito grande, como governador de Pernambuco, na área da educação, sobretudo no ensino médio que está sob a responsabilidade dos governos estaduais”, afirmou. De acordo com o ex-governador, “a maior rede de escolas em tempo integral do Brasil está em Pernambuco”. “E nós queremos levar essa experiência para o ensino integral no Brasil”.

Vale ressaltar que o presidenciável já havia dito que o “Brasil precisa experimentar o que é socialismo”. Segundo o ex-governador, quando o País tiver uma escola pública de qualidade, estará dando um passo enorme rumo ao socialismo (leia mais aqui).

A terceira prioridade de Campos, caso seja eleito, será a segurança pública, tendo como base o Programa Pacto Pela Vida, implantado em Pernambuco, que, entre abril de 2007 e dezembro de 2013, reduziu 39,1% dos homicídios no estado, e 60,88% no Recife, segundo o governo.

“Vamos levar essa bandeira para o governo federal, ajudar os estados e municípios, o Poder Judiciário, o Ministério Público e sociedade, enfrentar esse flagelo que é a violência urbana hoje. Ano passado o Brasil viu 54 mil vidas serem exterminadas na bala pelo País à fora. Anunciamos também uma meta de construir quatro milhões de casas populares”, disse Campos.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: