Em um ano, 131 grileiros detidos

Em um ano, 131 grileiros detidos

Agefis começa agora a cobrar custo de desocupações aos responsáveis pelas invasões de terras protegidas

20160201010017O combate à ocupação ilegal do solo resultou na prisão de 131 grileiros no Distrito Federal, entre janeiro de 2015 e janeiro de 2016. Responsáveis pela criação de loteamentos irregulares de áreas públicas e áreas de preservação ambiental, eles foram desmascarados em  operações da Agência de Fiscalização (Agefis) com as forças de segurança.

Segundo a Agefis, o empenho da Polícia Civil foi determinante e levou diretamente à prisão de 94 acusados,  do total de indiciados. “A Polícia Civil tem feito um trabalho fantástico”, afirmou a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro.

A partir deste semestre, o governo emitirá boletos cobrando dos responsáveis os custos das operações de desocupação. Estima-se que a primeira leva ultrapasse a marca de 200 pedidos de restituição.

As cobranças serão feitas pelo Cadastro de Pessoa Física (CPF). O custo de determinadas operações chega a R$ 200 mil por dia.

“Não vamos receber fácil esse dinheiro. Não acho que vão pagar com alegria. Mas o CPF vai estar preso na dívida ativa. Nem o Nota Legal eles poderão usar. Eles vão recorrer”, ponderou Bruna Pinheiro.  Na avaliação da diretora, a vitória na  luta contra a ocupação desordenada depende que os responsáveis os pelas invasões passem a sentir as consequências no bolso.

Desocupação pode dobrar meta

O governo planeja desocupar,  em 2016, ao menos 1,2 milhão de metros quadrados de terras públicas tomadas por invasores. No entanto, na interpretação da diretora-presidente da Agefis, existem chances concretas de o Buriti superar esta marca e retomar até 1,8 milhão metros quadrados tomados pelas diversas facetas da grilagem.

“A meta do ano passado era de 1 milhão de metros quadrados. Meta alta, muito ousada. E nós desobstruímos 1.596 milhão de metros quadrados. Ou seja, aumentamos em 50% a meta”, afirmou Bruna Agefis. Deste total, segundo a agência, apenas 15% das construções estavam realmente habitadas.

“Nossa meta é enorme, em uma cultura de que muitos invadem. A gente não tem prazer de fazer essa ação. Tenho mesmo pena dessas pessoas. Principalmente daquelas famílias de menor poder aquisitivo, esclarecimento e acesso à informação. Mas é a nossa missão, nossa obrigação”, desabafou.

Bruna Pinheiro enfatizou que a discussão não envolve áreas privadas simplesmente alheias ao mercado, mas sem áreas públicas. “Não são terras minhas, nem do  governador. São da população. E a gente não pode deixar que sejam ocupadas de modo fora da lei”, enfatizou.

Neste sentido, a Agefis pretende divulgar todas as áreas ocupadas irregularmente  no DF, diferenciando entre as terras passíveis de regularização das áreas onde o governo fará ações de desocupação.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About Germano Guedes

Olá Pessoal, Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”. Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas. Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade. Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural. Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire. Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações. No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade. Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.
%d blogueiros gostam disto: