Eleições se aproximam e grupos ainda não definiram tudo


Informações Daniel Cardoso, Jornal de Brasília

As convenções partidárias começam na próxima semana. Em alguns casos, é o que falta para uma decisão definitiva de quem e qual cargo concorrerá nas eleições deste ano. Em outros casos, apenas a confirmação do que muitos já sabem. Depois das reuniões entre os partidos, as figuras políticas deixam de ser pré-candidatos para anunciarem oficialmente as intenções, sem risco de denúncia por propaganda antecipada.

O calendário definido pelo Tribunal Superior Eleitoral determina que todas as legendas precisam se reunir entre os dias 10 e 30 de junho.

Indefinições

Apesar de estar quase certo como aliado do PSB, do senador Rodrigo Rollemberg, o PDT ainda ajusta os últimos detalhes da participação nas eleições. A data da convenção do DF foi adiada para o dia 21, o que seria, de acordo com filiados ao partido, a última tentativa de convencer o deputado federal Reguffe de integrar a chapa do PT. A versão oficial é de que o adiamento seria uma memória à morte do ex-presidente do partido, Leonel Brizolla, dia 21 de junho 2004.

O PMDB se reúne nos dois extremos do prazo, nacionalmente no dia 10 e para o DF, a reunião está marcada para o dia 29. Os peemedebistas devem oficializar o apoio ao PT em mais essa eleição.

O PP também está entre as legendas com rachas internos. Exemplo disso é a postura dos deputados distritais do partido. De um lado, Doutor Michel e Benedito Domingos votam com o governo e não tem feito reclamações sobre a aliança com o PT. No entanto, Paulo Roriz tem oscilado entre a oposição e posições neutras, o que pode influenciar na escolha da legenda. O encontro do DF será dia 30.

O PT ainda precisa definir quem será o candidato ao Senado na coligação para o DF, no dia 27.

Recentemente o presidente regional, Alberto Fraga desistiu da candidatura ao Senado e deve tentar uma vaga como deputado federal. A convenção nacional está marcada para o dia 28.

Será apenas oficialização

O PSB se reúne no DF, com a presença ainda não confirmada de Eduardo Campos e Marina Silva, candidatos a presidente e vice. No âmbito local, será oficializada o nome do senador Rodrigo Rollemberg para o governo, mas ainda não são oficiais as coligações que os socialistas seguirão.

O PTB do senador Gim Argello, candidato à reeleição, deve tornar oficial a composição da chapa oposicionista no último dia, 30.

Os tucanos definem os rumos nacionais no dia 14, enquanto no DF ainda surge a expectativa pela definição da candidatura do deputado federal Luiz Pitiman ao governo. O PSDB local já recebeu a ordem de ter um palanque para o candidato à presidência Aécio Neves e ainda é dúvida a composição da chapa do partido. Os tucanos locais ainda não marcaram uma data definitiva para a convenção. Ela poderá ocorrer entre os dias 27 e 29.

Após o caminho irreversível de sair da base do governo, o PR deve tornar oficial a candidatura do ex-governador José Roberto Arruda, no dia 21. A chapa teve na última semana uma mudança, a saída da deputada distrital Liliane Roriz (PRTB), que sairia como candidata a vice-governadora. Até lá, pode ser anunciado o novo nome.

Saiba mais

A terceira candidatura de Toninho do PSOL será sacramentada no dia 24 de junho.

A novidade para essas eleições é a volta de outros partidos de esquerda, com o PCB e PSTU compondo a chapa.

Em 2006, os três partidos ficaram juntos na primeira tentativa do PSOL de comandar o DF, o que acabou não se repetindo em 2010.

Para o PV, resta decidir de que lado ficar, apoiando a reeleição de Agnelo ou lançando candidato próprio.

Os ambientalistas se reúnem no DF depois do dia 14 para resolver a indecisão que ainda persiste.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: