Dirigente do São Paulo justifica veto ao Moisés Lucarelli: ‘Não podemos ir para o caminho da camaradagem’


Dirigente do São Paulo justifica veto ao Moisés Lucarelli: ‘Não podemos ir para o caminho da camaradagem’
O São Paulo pediu e foi atendido na Conmebol que o segundo jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, contra a Ponte Preta, não seja realizado no estádio Moisés Lucarelli por ter menos…

Divulgação/Site oficial

João Paulo de Jesus Lopes e Wellington; delegação são-paulina é vestida por ex-diretor de marketing

O São Paulo pediu e foi atendido na Conmebol que o segundo jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, contra a Ponte Preta, não seja realizado no estádio Moisés Lucarelli por ter menos de 20 mil lugares, conforme no regulamento da competição. A iniciativa irritou o clube campineiro, e, nesta segunda-feira, o vice-presidente de futebol do time tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, veio com a justificativa.

“O que o São Paulo procura colocar é o respeito aos regulamentos. O Brasil se torna uma grande nação onde os regulamentos são cada vez maios respeitados. Não podemos ir para o caminho da camaradagem, do jeitinho, porque isso pode levar a consequências graves. A questão da segurança onde colocamos pra Conmebol, ela tem que ser zelada. Não consigo ver argumentos e querer discutir pra quebrar o regulamento”, disse em entrevista à Rádio ESPN.

De acordo com o dirigente, o São Paulo também pensa nos próprios torcedores da Ponte Preta ao pedir a mudança de local. “O São Paulo está muito preocupado com a segurança da equipe, de dirigentes, da torcida, não só a nossa, mas a da Ponte Preta também. O risco de ambas as torcidas entrarem em conflito é muito grande. A nossa exigência foi exclusivamente que o regulamento seja seguido, e mais que isso, que a segurança seja assegurada pelo clube mandante”, afirmou.

Nas oitavas de final e nas quartas de final, a Ponte atuou normalmente em seu estádio, mas agora procura outro local. O favorito para abrigar a partida é o estádio Vail Chaves, em Mogi Mirim. O dirigente, porém, ainda não sabe onde o jogo vai acontecer.

“Nós não temos nenhuma informação oficial de que o jogo será em Mogi. É algo que aguardamos. Ainda é desconhecido o estádio. Da mesma forma que qualquer estádio, além do da Ponte, nós queremos que a segurança seja garantida. Não só o São Paulo, mas os torcedores das duas equipes tem que ter segurança. Não podemos transformar o futebol em uma guerra”, falou.

O primeiro duelo entre as duas equipes acontece já nesta quarta-feira, mas com local definido. O São Paulo recebe a Ponte Preta no Morumbi para depois ir ao jogo de volta com vantagem no placar.


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: