DF: TRT julga nesta sexta greve dos metroviários


DF: TRT julga nesta sexta greve dos metroviários
Categoria está em greve desde 4 de abril e pede reajuste salarial de 10%. Direção do Metrô informou ter proposto cálculo com base no INPC.

O Tribunal Regional do Trabalho do Distrito Federal (TRT) irá julgar na tarde desta sexta-feira (2) se a greve dos metroviários é abusiva. De acordo com o TRT, a sessão está marcada para as 14h.

O processo foi entregue ao relator em 25 de abril. Antes disso, a greve já havia analisada pelo Ministério Público do Trabalho, que não identificou conduta abusiva do movimento, mas pediu o retorno às atividades em razão da duração da greve e à “natureza das atividades exercidas pela categoria profissional”. Nesta terça (29), o processo foi levado para o gabinete da desembargadora revisora do processo, Elke Doris Just. Trem do Metrô DF durante a greve dos metroviários . (Foto: Reprodução GloboNews)…

Os metroviários estão em greve no Distrito Federal desde 4 de abril. A categoria reivindica reajuste salarial de 10%, redução da jornada de trabalho para seis horas e previdência complementar.

A paralisação chegou a ser suspensa entre os dias 10 e 13 do mês passado, após reunião entre a direção do Metrô DF e representantes do Sindicato dos Metroviários. No dia 16, o governador Agnelo Queiroz disse que os metroviários em greve terão descontados os dias em que não trabalharem.

Entre as propostas apresentadas pelo Metrô-DF à categoria, estão reajuste salarial e de benefícios com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e implantação de plano de previdência complementar até 31 de março de 2015. A companhia também diz que mantém reuniões semanais com representantes do sindicato.

No último dia 15, o TRT determinou que 50% dos trens permaneçam em operação.

O secretário de Administração Pública do DF, Wilmar Lacerda, afirma que a greve não tem justificativa e prejudica a população que necessita do serviço diariamente. “Consideramos esta greve abusiva. Todas as cláusulas do acordo coletivo estão sendo cumpridas. Nós já dobramos o salário no ano passado, propusemos reajuste salarial. Portanto, é um acordo coletivo em pleno vigor e não há justificativa para a paralisação”, declarou.

A diretora do sindicato da categoria Tânia Viana, porém, diz não ver motivos para o pedido de abusividade da greve feito pelo GDF. Ela também critica a manutenção dos trens e das estações do metrô.

“Estamos cumprindo todas as determinações que a lei de greve demanda. Se não cumprirmos essas normas regulamentadoras, e não conseguirmos a melhoria na prestação de serviços de manutenção, a tendência é um desastre no metrô.”

Fonte: Portal G1 DF 

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: