DENÚNCIA Comissão irá investigar Diretor da Codhab Rafael Cardoso de Oliveira

Diretor da Codhab determina que funcionários investiguem suposta fraude em lista de beneficiados

A inclusão do nome do presidente da Codhab, Rafael Carlos de Oliveira, no sistema de um programa habitacional será alvo de uma sindicância. O que chama atenção é que a apuração será feita por servidores da estatal e partiu da ordem do próprio presidente. A situação foi denunciada pelo Jornal de Brasília.

A publicação na edição de ontem no Diário Oficial prevê que três funcionários serão responsáveis por investigar o assunto, com prazo de 30 dias para conclusão. O ato é assinado pelo próprio presidente da Codhab.

O sistema do programa “Regularizou, é seu” traz nome, CPF e endereço de Rafael de Oliveira, como convocado para apresentar documentação e ter a posse definitiva de um terreno na expansão da Vila São José, em Brazlândia. A ficha também diz que o presidente seria desempregado, mas com renda familiar de R$ 24 mil.

O setor está em fase de regularização e servidores da Codhab passaram por Brazlândia nos meses de outubro e novembro para orientar os moradores. Com isso, o sistema foi aberto e os dados de candidatos a beneficiários começaram a ser incluídos. De acordo com um funcionário da estatal, Rafael de Oliveira estaria apto a apresentar a documentação desde o dia 22 de novembro.

Quando as denúncias vieram à tona, o presidente da Codhab prometeu que seria aberta uma sindicância e disse que as duas únicas causas da inclusão de seu nome no sistema poderiam ser a fase de testes, acompanhada por ele, e também a má-fé de um servidor. Por isso, ele mesmo ordenou a investigação. “Foi aberta por mim, para investigar quem tem essa responsabilidade e não contra mim, porque não estou envolvido”, afirmou o diretor.

O presidente da Codhab afirmou ainda que o processo seria acompanhado pela Secretaria de Transparência e Controle. Entretanto, a secretaria informou em nota que não possui essa responsabilidade. “A sindicância tem caráter preliminar e meramente investigativo, razão pela qual não requer acompanhamento por esta STC”, informou.

Denúncia anterior

O Ministério Público do DF denunciou o suposto envolvimento de Rafael de Oliveira em um favorecimento à Associação Pró-Morar do Movimento Vida de Samambaia (AMMVS), administrada anteriormente por sua irmã.

Informações suspeitas
O presidente da Codhab afirma que parte dos dados apresentados na ficha de cadastro obtida com exclusividade pelo Jornal de Brasília é verdadeira. Ele se defende, dizendo que o documento deveria trazer informações sobre dependentes, o número do processo dentro da estatal e a indicação de qual seria o lote destinado. Um servidor da Codhab, que não quis se identificar, afirmou que o endereço do terreno a ser regularizado só deveria aparecer após a entrega de documentação.


Confira  no Jornal de Brasília



About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: