Decisão de Preta Gil e de Gaby Amarantos de emagrecer provoca debate

   Decisão de Preta Gil e de Gaby Amarantos de emagrecer provoca debateÍcones do movimento plus size, Preta Gil e Gaby Amarantos decidiram emagrecer sob a supervisão de telespectadores e provocaram um debate acalorado sobre as reais amplitudes da ditadura da magreza

Modelo plus size, Barbra não tem problemas de saúde e garante que é possível ser elegante e feliz fora dos padrões
Há, afinal, uma medida ideal para o corpo feminino? É isso que questionam muitos que conhecem a carreira de Preta Gil e Gaby Amarantos. Intencionalmente ou não, as artistas se tornaram ícones contra a ditadura da magreza, mas, na última semana, estrearam no Medida certa, do programa Fantástico. Segundo as famosas, a participação no quadro focado no emagrecimento foi motivada mais pela saúde do que pela estética. Ainda assim, ela rendeu inflamadas discussões nas redes sociais e blogs e, mais uma vez, colocou em xeque o movimento plus size.
Um estudo realizado na Universidade de Durham, na Inglaterra, sugere que modelos de mulheres curvilíneas, como Preta e Gaby, podem amenizar a obsessão feminina pelo corpo perfeito. No entanto, para alguns especialistas, a pressão social pela busca da perfeição ainda enfraquece qualquer tentativa de defender que a beleza pode vir de vários tamanhos. E com saúde.


Estudos indicam que celebridades como Preta Gil evitam a obsessão pela magreza
Os pesquisadores estudaram mais de 100 mulheres e descobriram que anúncios com modelos parecidas com as mulheres reais podem ajudar quem está acima do peso a desenvolver hábitos alimentares saudáveis. Segundo o estudo, aquelas que sempre consideraram ideais apenas os corpos esguios passaram a valorizar menos esse biotipo após visualizar modelos de beleza com tamanhos maiores. No entanto, quanto mais eram expostas a mulheres muito magras, mais valor davam às medidas enxutas.

Autora do estudo, publicado no periódico internacional PLoS One, Lynda Boothroyd acredita que “esse comportamento nos faz refletir sobre o poder que a exposição a biotipos muito magros tem nas mulheres”. “Há evidências de que estar constantemente cercada por celebridades e modelos da mídia muito magras contribui para que meninas e mulheres desenvolvam uma atitude doentia diante do corpo que elas têm”, diz a pesquisadora.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: