Crime planejado e filmado por autor


Crime planejado e filmado por autor

Rapaz que confessou ter matado a ex-namorada cometeu o homicídio um dia antes de completar 18 anos

Ludmila Rocha
Ela implorou pela vida, mas isso não o comoveu. Apesar da paixão que se afirma ter existido no passado, nos últimos tempos o relacionamento era marcado por ameaças e desentendimentos. O que ninguém imaginava é que um namoro de escola, entre dois jovens, teria um fim tão trágico. Depois de um dia sem contatar a família, a estudante Yorrally Dias Ferreira, 14 anos, foi encontrada morta com um tiro acima do olho direito, no Parque Recreativo do Gama, conhecido como Prainha. O autor: seu ex-namorado, até então prestes a completar 18 anos, que estaria se sentindo ameaçado pelo envolvimento da garota com uma facção rival.

Após dizer à família que iria comprar um short, a jovem teria ido à casa do rapaz com o propósito de terem uma conversa. De lá seguiram para o parque. Já no local, após discutirem, o rapaz teria a levado para uma área mais afastada, onde a alvejou utilizando um revólver calibre 32.

Gps

Parentes e amigos que procuravam pela adolescente rastrearam o GPS do celular dela e conseguiram identificar o provável local em que a menina estaria. A PM foi acionada e confirmou a localização do corpo.

Sem resquícios de remorso, o rapaz filmou a execução pela câmera de seu aparelho celular e mostrou a amigos. E foi a partir desse vídeo, e de diligências junto a colegas de escola da menina, que a polícia chegou ao acusado.

O rapaz foi apreendido em sua casa, em Novo Gama (GO). De acordo com os policiais, ele não ofereceu resistência e, na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA I), confessou que planejou o crime. O depoimento foi filmado.

No vídeo, o rapaz conta que atirou porque ficou “com muita raiva” após ela ter confessado que estaria se relacionando com pessoas de um grupo rival. Ele teria perguntado sobre “a casinha” (armadilha) que ela e os amigos estariam preparando para ele. Na sequência, percebendo a ira do ex, a garota teria chegado a pedir perdão e implorado por sua vida. Segundo o sargento Cleomar Guimarães, da PM de Goiás, “ele disse que a matou por se sentir ameaçado, mas não explicou o motivo das brigas com o outro grupo”.

Como foi apreendido horas antes de completar 18 anos, o rapaz vai responder como menor. Ele já tinha antecedentes por ameaça, lesão corporal, por porte de arma e roubo.

Tranquilidade surpreendeu a polícia

Segundo a polícia, H.A.S. planejou tirar a vida da adolescente ainda na última quinta-feira. O único tiro fatal foi disparado de uma arma calibre 32 que o jovem confirmou ser dele, mas estava guardada na casa de um amigo.

A delegada Viviane Bonato, da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), explica que H., que mora a 20 metros do local do crime, atraiu a adolescente até o parque. Ali, o rapaz indagou a vítima sobre o motivo pelo qual ela estaria falando mal dele. “A adolescente ficou com medo e tentou se esquivar, mas ele a segurou pelo braço e disparou contra a testa. Tudo dá a entender que os dois tenham ficado cara a cara”, diz Viviane.

Depois do assassinato, H. voltou para casa e tentou lavar a mancha de sangue que ficou na camisa. Depois, colocou a blusa no cesto de roupa suja.

Segundo Viviane, o autor tratou o caso com frieza e tranquilidade. Na tarde do homicídio, o jovem assistiu a um jogo de futebol pela televisão. Na tarde de segunda-feira, foi ao dentista e acabou sendo surpreendido por policiais militares de Goiás, quando foi apreendido. Ele ainda vai responder como menor de idade. “H. pode cumprir medida socioeducativa por até três anos”, destaca Viviane.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: