CORREIO BRAZILIENSE REVELA NEPOTISMO DE ROBERTO GÓES

 

gósProibida pelo Supremo, a farra da contratação de parentes continua a todo vapor na Câmara. Segundo matéria publicada no jornal Correio Brasiliense, edição de domingo (17), são pelo menos 10 casos confirmados e entre eles aparece o deputado Roberto Góes (PDT); Segundo o jornal, Luna Brito Xavier Góes, filha do governador Waldez Góes, é assessora no gabinete de Roberto Góes

Amapá 247 – Luna, filha de Waldez e da deputada Marília Góes (PDT) recebe salário de R$ 6.210,00 mais R$ 784 de auxílios. O Correio lembra que o deputado amapaense é primo do governador do Estado.

Além de Roberto o deputado Vinicius Gurgel, aliado político de Waldez,  também teria empregado um Góes no gabinete. Franck Roberto Góes da Silva, primo de Waldez esteve lotado no gabinete de Vinicius até o dia 22 de março, quando foi exonerado. Franck recebia salário de R$ 5.045,00 mais R$ 276,00 de auxílios.

Em outubro de 2008, com pompa e circunstância, a Câmara dos Deputados anunciou a exoneração de 102 servidores comissionados por serem parentes dos parlamentares. A demissão em massa era uma resposta à Súmula nº 13 do Supremo Tribunal Federal, publicada em agosto daquele ano, proibindo a contratação de familiares. Sete anos depois, aproveitando brechas na legislação, a prática do nepotismo continua viva em Brasília. Entre centenas de correspondências de nomes, o Correio selecionou, somente na Câmara, 10 casos de parentes de parlamentares que trabalham ou permaneceram até março na estrutura da Casa. Somados, eles ganham pouco mais de R$ 55 mil mensais em salários e gratificações, líquidos. Nos próximos dias, o Correio mostrará que a prática está longe de ser abolida na Esplanada.

No total, a reportagem encontrou 106 correspondências de nomes entre parlamentares e detentores de cargos comissionados na Câmara, tomando por base o mês de março.

 Prática recorrente

Colocar parentes no emprego pública parece ser uma prática recorrente entre os Góes. Enquanto governador do Amapá entre 2003 e 2010, Waldez Góes empregou 69 parentes no governo. Juntinhos a Waldez, no poder, estavam a mulher, Marília, primos, tios, sobrinhos, cunhados e até a sogra, recebendo dos cofres do Estado salários que variam de R$ 350,00 a R$ 6.900,00; Os mais de 60 Góes, somados, ganhavam mais de R$ 150 mil por mês ou mais de R$ 2 milhões anuais dos minguados cofres do Tesouro amapaense

Na época a lista dos parentes do governador Waldez Góes e de sua mulher, Marília foram checadas nas sucessivas edições do Diário Oficial do Estado do Amapá pelo jornal paraense. A pesquisa no Diário Oficial confirmou: não só o contingente de parentes do governador é numeroso e variado: se espalhava, como um câncer, por quase todos os setores do governo amapaense O Liberal.

De acordo com o Liberal até os alimentos para abastecer a residência oficial do governo do Estado eram fornecidos por parentes, no caso pela empresa Prova Ide Systems Ltda., de propriedade de um filho de criação da sogra do governador Waldez Góes, contratada com dispensa de licitação.

http://www.brasil247.com/pt/247/amapa247/181266/Correio-Brasiliense-revela-nepotismo-de-Roberto-G%C3%B3es.htm

About Germano Guedes

Olá Pessoal,
Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”.
Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas.
Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade.
Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural.
Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire.
Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações.
No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade.
Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.

%d blogueiros gostam disto: