Corpo de mulher é encontrado no lago



O corpo de uma mulher de aparentemente 33 anos de idade foi encontrado por um pescador, no Lago Paranoá, na altura da DF 001, KM 17, na divisa entre o Lago Norte e o Paranoá. Ela foi identificada por um vizinho que levou os bombeiros até a família da jovem para dar a notícia.


A identificação da mulher, Gilma Casimiro Alves, foi feita por duas irmãs dela. A jovem era mãe de cinco filhos, o mais novo com 9 anos de idade. A mulher teria sido vista pela última vez na manhã de ontem, quando levava dois deles para a escola. “Ela estava aparentemente normal, parecia alegre”, conta uma amiga que teria encontrado com Gilma horas antes do ocorrido.

Possível afogamento

O primeiro a chegar ao local do fato foi o Corpo de Bombeiros. O corpo foi retirado pelos profissionais, que teriam usado uma corda. A Coordenação de Repressão a Homicídios da Polícia Civil do Distrito Federal foi chamada e esteve no lago para iniciar as investigações.

No corpo da mulher não foram encontrados sinais de agressão. Segundo a polícia, tudo indica que Gilma tenha morrido por afogamento. Por isso, o caso foi repassado à 6ª DP (Paranoá). Ainda segundo a polícia, a mulher estava vestida com uma blusa tipo top e um short.

Uma amiga de Gilma conta que ela teria tentado se matar uma vez. “Mas não acredito que ela tenha feito isso agora. Ela estava bem, inclusive estava cuidando do corpo. Tinha até emagrecido depois que começou a ir ao trabalho de bicicleta”, conta a mulher que preferiu não se identificar. A bicicleta foi encontrada próxima ao local de onde o corpo foi retirado.

Alguns vizinhos da vítima, que morava na Quadra 30 do Paranoá, dizem que a mulher era tranquila e uma boa mãe, e que às vezes ouviam discussões entre ela e o marido, mas nada de anormal.

A polícia ainda não se pronunciou sobre o caso. Sendo assim, não há informações sobre a linha de investigação que será adotada.

Casos semelhantes

Em março deste ano o corpo de um homem também foi encontrado boiando no mesmo local onde estava o de Gilma, próximo à barragem do Paranoá.

Em julho, outro corpo foi visto flutuando embaixo da Ponte Costa e Silva, também do sexo masculino.

Saiba Mais

A barragem do Paranoá é o local mais ameaçador do lago

Moradores do Paranoá e de São Sebastião costumam nadar na região, a mais funda do lago, com cerca de 40 metros de profundidade

Isso aumenta as chances de morte por afogamento

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: