COPA 2014 Briga contra o relógio


Ainda sob o fantasma de exclusão de um dos estádios da Copa de 2014, Brasil tenta acelerar obras para cumprir prazo dado pela Fifa. Beira-Rio pode antecipar inauguração

Renan Damasceno – Estado de Minas

Publicação:

28/01/2014 09:13
Atualização:

28/01/2014 09:20


Com o andamento dos trabalhos mais atrasado entre os cinco pendentes, a Arena da Baixada, em Curitiba, terá definição em 18 de fevereiro se será mantida no Mundial

A 135 dias da Copa do Mundo, cinco cidades correm contra o tempo para entregar seus estádios para o Mundial até abril, o novo prazo estipulado pela Fifa. No domingo, a Arena das Dunas, em Natal, sétimo estádio a ficar pronto, recebeu seus dois primeiros jogos e a previsão oficial é de que no próximo mês outras duas arenas sejam entregues: Arena Pantanal, em Cuiabá, e Beira-Rio, em Porto Alegre.

O Beira-Rio pode ser inaugurado até mais cedo, na sexta-feira. Há a expectativa de que a presidente Dilma Rousseff vá ao Rio Grande do Sul para a abertura. Pouco antes de dar o pontapé inicial em Natal, na quarta-feira, a presidente informou em seu Twitter que o “próximo estádio da Copa das Copas a ser entregue será o Beira-Rio, na minha querida Porto Alegre”. No sábado, em jogo-treino fechado no local, o Internacional goleou o Cerâmica por 3 a 0. A direção colorada esperava fazer seu jogo inaugural amanhã, contra o São Paulo-RS, mas nem todos os refletores foram instalados.

Já a Arena Pantanal está dentro do cronograma. Em visita na semana passada, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, elogiou o andamento da obra dos mato-grossenses, mas a instalação dos assentos e o gramado parecem ser os pontos que mais o preocupam. Apesar disso, o dirigente indicou que a entrega deve ser em fevereiro.

Os outros três estádios devem ficar prontos bem próximo do limite estipulado pela Fifa, em abril. O caso mais preocupante é o da Arena da Baixada, que sofreu ameaças de Valcke de ficar fora do Mundial. A decisão sobre a possível exclusão ocorrerá em 18 de fevereiro. Com um mês de atraso, o gramado começou a ser plantado na sexta-feira. Para não prejudicar o tapete, a Fifa vetou qualquer evento-teste antes do Mundial. A inauguração oficial estava programada para 26 de março, mas não há previsão para a liberação.

O próximo passo, segundo o conselho gestor (formado pelo Atlético-PR, prefeitura, governo do estado e COL) é “definir metas e valores reais” do restante da obra. O custo inicial da reforma era de R$ 265 milhões, mas teve acréscimos que fizeram o montante ultrapassar os R$ 300 milhões. Tanto o clube quanto autoridades deixaram claro, em entrevistas recentes, que não colocarão recursos adicionais nas obras.

Os outros dois estádios, Arena Amazônia (Manaus) e Itaquerão (São Paulo), vão ser inaugurados próximo da data fatal. Em ambos houve ocorrência de mortes no fim do ano passado, provocando interdição temporária. A queda de um guindaste que fixava a estrutura da arquibancada na arena paulista, em 27 de novembro, interditou parte da obra na área leste e atrasou em quase quatro meses a entrega do estádio à Fifa. A previsão atual é 15 de abril.

Já os operários terceirizados da Arena Amazônia reclamam de salários não pagos. Autoridades afirmam que após as tragédias recentes os procedimentos de segurança foram fortalecidos e que os trabalhadores não estão sob pressão para acelerar a conclusão, prevista para 1º de abril.

CUSTO TRIPLICADO O custo dos estádios para a Copa do Mundo já supera em mais de três vezes o valor informado pela CBF à Fifa quando o Brasil apresentou seu projeto para sediar o Mundial. Cópia do primeiro levantamento técnico da Fifa sobre o país, fechado em 30 de outubro de 2007 e obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo, informava que as arenas custariam US$ 1,1 bilhão, cerca de R$ 2,6 bilhões. A última estimativa oficial, porém, aponta que o valor chegará a R$ 8,9 bilhões.

NA PRORROGAÇÃO

Arena da Baixada
Curitiba
Andamento: 88%
Prazo de entrega: indefinido
Estágio atual: Trabalhos se concentram na arquibancada superior, com a instalação das peças pré-moldadas, e no plantio do gramado
Capacidade: 43 mil
Custo: R$ 326 milhões (R$ 196,8 milhões de financiamento federal)*
Jogos: Irã x Nigéria (16/6), Honduras x Equador (20/6), Austrália x Espanha (23/6), Argélia x Rússia (26/6)

Arena Amazônia
Manaus
Andamento: 94%
Prazo de entrega: 1ºde abril
Estágio atual: A estrutura metálica da cobertura e parte da fachada foram concluídos em novembro. O gramado já está crescendo e o próximo passo será colocar as traves do campo.
Capacidade: 44 mil
Custo: R$ 669,5 milhões (R$ 400 milhões de financiamento federal)
Jogos: Inglaterra x Itália (14/6), Camarões x Croácia (18/6), EUA x Portugal (22/6) e Honduras x Suíça (25/6)

Arena Pantanal
Cuiabá
Andamento: 90%
Prazo de entrega: 22 de fevereiro
Estágio atual: Setor oeste das arquibancadas é o mais adiantado; pórticos que sustentam a cobertura continuam sendo montados
Capacidade: 44,3 mil
Custo: R$ 570 milhões (R$ 339 milhões de financiamento federal)
Jogos: Chile x Austrália (13/6), Rússia x Coreia do Sul (17/6), Nigéria x Bósnia (21/6) e Japão x Colômbia (24/6)

Beira-Rio
Porto Alegre
Andamento: 97%
Prazo de entrega: 28 de fevereiro
Estágio atual: Trabalhos foram concluídos na arquibancada inferior; operários trabalham na instalação de assentos e finalização da cobertura
Capacidade: 60,8 mil
Custo: R$ 330 milhões
Prazo: Jogos: França x Honduras (15/6), Austrália x Holanda (18/6), Coreia do Sul x Argélia (22/6), Nigéria x Argentina (25/6) e 1º do G x 2º do H (30/6)

Itaquerão
São Paulo
Andamento: 94%
Prazo de entrega: 15 de abril
Estágio atual: Segue em andamento a instalação dos módulos da cobertura
Capacidade: 65 mil
Custo: R$ 820 milhões
Jogos: Brasil x Croácia (12/6), Uruguai x Inglaterra (19/6), Holanda x Chile (23/6), Coreia do Sul x Bélgica (26/6), 1º do F x 2º do E (1/7) e uma semifinal

* Valores oficiais informados em www.copa2014.gov.br

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: