Campos empossa secretários do PSDB, mas nega interesse político

Por: Júlia Schiaffarino – Correio Braziliense
Nossas alianças não são feitas por interesses políticos ou de partidos, mas colocando o interesse do povo no centro. Essa é a diferença entre a nova e a velha política,afirmou o Eduardo Campos.

Em uma cerimônia concorrida, tomaram posse na manhã sexta-feira (3) seis novos secretários do governo de Pernambuco e novo presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). No grupo, estão dois tucanos, que assumem vagas antes pertencentes ao PTB, partido que rompeu com a gestão socialista no ano passado, visando candidatura própria ao Palácio do Campo das Princesas.

O ex-presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, responsável pela articulação da nova aliança, também participou da posse. Nos últimos quatro anos, a sigla de Guerra comandou a oposição ao governo estadual. Essa união tem sido encarada como um acordo para garantir a reeleição de Sérgio Guerra à Câmara Federal, além de firmar aliança sustentar aliança branca com o PSB em outros estados, a exemplo de Minas Gerais.

“Nossas alianças não são feitas por interesses políticos ou de partidos, mas colocando o interesse do povo no centro. Essa é a diferença entre a nova e a velha política”, afirmou o Eduardo Campos durante o evento. Durante o discurso, o ele também manteve o tom de críticas à gestão da presidente Dilma Rousseff (PT). “Não podemos achar que está tudo uma beleza porque não está”, completou. No segundo semestre de 2013 o PSB decidiu entregar que mantinha no governo federal assumindo a postura de “independência”, que aos poucos se transformou em oposição clara.

Secretariado
Os nomes escolhidos por Sérgio Guerra para representar o PSDB no primeiro escalão do governo socialista foram o do ex-secretário de saúde de Camaragibe, Caio Mello, e o do ex-superintendente do Sebrae em Pernambuco, Murilo Guerra. Para Melo coube o comando do Detran e a Murilo a secretaria de Trabalho e Emprego.

Além deles, foram nomeados o ex-presidente da Chesf, João Bosco – deixou o governo federal em 2013 por determinação partidária – para a secretaria de Infraestrutura; o auditor do Tribunal de Contas de Pernambuco, Adaílton Feitosa, para a secretaria de Turismo; o ex-secretário Executivo de Gestão da secretaria de Planejamento para a pasta de Direitos Humanos. Foram ainda efetivados, o secretário interino de Cultura, Marcelo Canuto, e o interino de Defesa Social, Alessandro Carvalho.


Leia mais

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: