Câmara Legislativa ouve deputados que locaram carros em padaria e farmácia



O  presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Wasny de Roure (PT), informou que vai ouvir nesta terça (1º) os deputados distritais Robério Negreiros (PMDB) e Paulo Roriz (PP), para decidir quais providências tomar após denúncias de que eles alugam veiculos de locadoras com sedes em uma padaria, uma farmácia, uma residência e no escritório político do próprio distrital. O caso foi revelado pelo DF TV nesta segunda-feira (30). Os parlamentares negam irregularidades.


Robério Negreiros gastou R$ 20,8 mil com a locação de veículos desde o início do ano. As notas fiscais apresentadas pelo deputado indicam a locação de um veículo de luxo, mas no endereço da empresa funciona uma farmácia. Robério Negreiros aluga também um carro de outra empresa, mas no endereço indicado nas notas há uma loja de bolos.

A assessoria do deputado Robério Negreiros afirmou que houve alterações nos endereços das locadoras e que o gabinete não tem obrigação legal de atestar a existência da estrutura das empresas.
Esses indícios de graves irregularidades têm se repetido e portanto essas notas fiscais têm que ser auditadas. Se existe de fato esse contrato, se há veículos realmente que estão sendo alugados ou se isso seria apenas uma forma de o dinheiro retornar à fonte pagadora”
secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castelo Branco.

Ainda segundo notas recebidas pela Câmara, o deputado Paulo Roriz gastou, em quatro meses, R$ 25 mil com aluguel de carros. Os documentos indicam a locação de uma van de uma empresa cujo endereço é o de uma residência ocupado por uma família há seis meses. O telefone registrado na nota é inexistente.

Paulo Roriz aluga também uma caminhonete. O endereço da empresa que faz a locação é o memso do escritório político do próprio distrital. O empresário Eudes Teixeira, que trabalha no local, afirmou ser dono da locadora e disse ter cedido metade do espaço para o deputado.

“Eu fico no fundo, ele fica na frente. Eu cedi para ele porque não estava ocupando o espaço todo”, afirmou.

Por meio de nota, a assessoria do deputado Paulo Roriz informou que que a van foi alugada em um endereço diferente do que aparece na nota fiscal. Também afirmou que a locadora da caminhonete funciona no mesmo lugar onde fica o escritório do parlamentar e que não há irregularidades na locação de veículos.

De janeiro a abril, os gastos dos distritais com aluguel de carros chegaram a quase R$ 240 mil. Os recibos e notas fiscais dos valoesr pagos são publicados na internet há dois anos, após diversas suspeitas de irregularidades.

Para a ONG Contas Abertas, que fiscaliza gastos públicos, os parlamentares deveriam alugar carros de locadoras maiores e mais conhecidas.

“Esses indícios de graves irregularidades têm se repetido e portanto essas notas fiscais têm que ser auditadas”, disse o secretário-geral da ONG, Gil Castelo Branco. “Se existe de fato esse contrato, se há veículos realmente que estão sendo alugados, ou se isso seria apenas uma forma de o dinheiro retornar à fonte pagadora.”

Somando salário, cota para contratar funcionários, auxílio-alimentação e verba para gastos de gabinete, como gasolina e aluguel de carros, cada um dos 24 distritais recebe até R$ 157 mil por mês. O total passa de R$ 45 milhões por ano.

Apenas os deputados da Mesa Diretora têm direito a carro oficial. Os outros parlamentares usam carro próprio ou alugam. Este ano, 14 dos 24 parlamentares aluguram automóveis.

Locadora em pizzaria

Em setembro do ano passado, a Corregedoria da Câmara Legislativa abriu processo para investigar suspeitas de irregularidades na locação de uma caminhonete de luxo pelo presidente da Comissão de Ética da Casa, Doutor Michel (PEN). A empresa que fez o aluguel do veículo para o parlamentar funciona em uma pizzaria.

Desde 2011, o deputado gastou R$ 108 mil com o aluguel do veículo. Em 2012, ele também pagou o IPVA, o seguro e o licenciamento da caminhonete.

O parlamentar informou que pagou os impostos do carro quando a lei distrital ainda permitia. Ele também afirmou que a empresa funciona na casa do proprietário e que vai pedir a correção dos dados da nota fiscal. O dono da empresa não atendeu às ligações da reportagem.

Lote vazio

Entre fevereiro e julho, o presidente da Câmara Legislativa, Wasny de Roure (PT), gastou R$ 29,5 mil com 118 diárias de locação de veículo. No endereço da nota fiscal havia um terreno vazio. O telefone da empresa também estava programado para não receber chamadas.

À época, o deputado disse que a nota fiscal estava errada e que a locadora funcionava em outro endereço. Ele afirmou que iria cobrar da empresa a correção dos dados.

Pelo celular informado pela assessoria do deputado, o representante da locadora informou que vai construir a sede da empresa no lote vazio. Até lá, o escritório funciona na casa dele, no mesmo condomínio.

Fonte: G1

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: